PLACAR

Pegula festeja ótima fase, mas se considera “zebra”

Foto: Jimmie48/WTA

Cancún (México) – Com campanha notável em Cancún, o segundo Finals de sua carreira, a norte-americana Jessica Pegula está muito satisfeita com seu desempenho na reta final de temporada, mas não quer saber de favoritismo para a decisão do Finals desta segunda-feira.

“Eu consegui juntar todo meu melhor tênis na reta final do ano”, comemorou Pegula. “Tenho feito um grande trabalho e consegui ressetar meu jogo antes de chegar aqui. Não foi divertido sair de Fort Worth (o Finals do ano passado) com seis derrotas e estou feliz porque dei a volta por cima. Arrumei uma forma de fazer tudo funcionar e estou muito confiante”.

Em sua notável campanha nas difíceis condições do Estádio Paradisus, Pegula derrotou a lider do ranking Aryna Sabalenka, a terceira colocada Gauff, a quarta favorita Elena Rybakina e a número 9 Maria Sakkari. Na decisão de segunda-feira, poderá reencontrar Sabalenka ou enfrentar Iga Swiatek, semifinal adiada pela chuva para o final da tarde deste domingo.

Ela não quer saber de favoritismo. “Não, não penso que possa ser considerada favorita para esta final, considerando que qualquer que seja a adversária ela estará acima de mim no ranking. Acho mais certo me considerar a zebra, mesmo que esteja jogando um grande tênis”.

Em outro feito de sua ótima temporada, Pegula já derrotou sete adversárias de nível top 10, repetindo o feito de Swiatek do ano passado e de outras grandes jogadoras, como Garbiñe Muguruza, em 2021, e Bianca Andreescu, em 2019.

Gauff lhe rendeu elogios. “Ela jogou incrivelmente bem com esse vento todo, e eu não consegui me adaptar”, avaliou a campeã do US Open sobre o placar tão dilatado. “Nós duas encaramos as mesmas condições e ela se adaptou muito melhor que eu”.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE