PLACAR

Pegula cobra diminuição da desigualdade salarial

Jessica Pegula em Montreal
Foto: Omnium Banque Nationale

Nova York (EUA) – Uma das principais jogadoras do momento na WTA, a norte-americana Jessica Pegula reconhece que o tênis é um dos esportes que mais paga bem suas atletas, porém também sabe que a diferença nas premiações entre homens e mulheres ainda é bastante grande mesmo com os Grand Slam pagando o mesmo nas chaves masculina e feminina.

“O tênis feminino é um ótimo esporte, um dos mais bem pagos para as mulheres, mas ao mesmo tempo a diferença salarial é muito grande. Sempre falamos em igualdade nos Grand Slam, mas são só quatro torneios por ano. Não é igual em muitos dos outros torneios e nossa temporada é longa, são 10 ou 11 meses e uma grande diferença no resto do ano”, destacou Pegula em entrevista à Forbes.

“Acho que temos que melhorar o nosso marketing, algo que vai evoluir com a WTA contratando uma empresa para cuidar da parte comercial. Começaremos a ter melhores acordos com as emissoras de televisão. Estamos tentando iniciar o caminho com os mesmos prêmios e com algumas mudanças na estrutura do circuito. Esperamos ver os resultados nos próximos anos”, acrescentou.

Filha dos proprietários do Buffalo Bills (NFL) e do Buffalo Sabres (NHL), a norte-americana garante que só chegou aonde chegou por causa de seu esforço. “Quem conhece o esporte, sabe que não se chega lá se não trabalhar muito ou não tiver talento. É muito complicado. Não é algo que me preocupe muito. Trabalhei muito, não teria chegado aqui se não fosse assim”.

Pegula conta que chegar às quartas de final no Australian Open em 2021 mudou sua carreira. “Acho que não esperava tanto, mas minha mentalidade mudou depois daquilo, talvez tenha passado a acreditar mais em mim mesma.. Chegar tão longe num Grand Slam é algo que nunca havia conseguido antes. Desde então, fui longe em todos os torneios que joguei”, comentou a norte-americana.

“Naquele momento percebi que poderia jogar ao mais alto nível. Antes eu tentava passar da primeira rodada, agora o objetivo é chegar às semifinais ou vencer uma. Cheguei bem perto este ano em Wimbledon, mas perdi para a atual campeã. No tênis feminino há muito equilíbrio, qualquer uma pode avançar a qualquer momento. Isso me dá confiança de que posso chegar lá”, finalizou.

11 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Alexandre
Alexandre
2 meses atrás

As mulheres ganham percentualmente muito mais do que os homens no tênis! Geram muito menos arrecadação com ingressos e direitos de televisão em relação aos homens e, nos GS, ganha a mesma coisa! Uma grande injustiça contra os homens!

Maurício Luís *
Maurício Luís *
2 meses atrás
Responder para  Alexandre

A equiparação visa quebrar esse que é um círculo vicioso. Menos prêmios, menos mulheres competindo (na data de hoje, são menos de 1.400 ranqueadas na WTA contra + de 2.000 na ATP). Menos competitividade, cai a qualidade. E meninas adolescentes não costumam viajar sozinhas. Despesas com hotéis, transporte, material esportivo, enfim, é tudo o mesmo preço pra elas. Provavelmente você não é pai de filha que sonha em se profissionalizar. Pimenta nos olhos dos outros, é colírio! Seu raciocínio é bastante simplista.

Leonardo
Leonardo
2 meses atrás
Responder para  Maurício Luís *

Mauricio, voce está sendo meio ingenuo nessa analise. A filosofia é linda, mas quem paga essa conta a WTA e a ATP são empresas diferentes. Então a WTA deve operar no prejuizo para pagar os mesmos premios da ATP independente da arrecadação? ou a ATP deve subsidiar a WTA diminuindo seu proprio lucro e a premiação do masculino para que a outra empesa possa pagar maiores premios? Vamos considerar a Microsoft e a Canonical. A Canonical desenvolvou o Ubuntu, que é um sistema operativo mais barato e acessivel que o MS Office. Imagina se amanhã sai uma lei que todas as empresas de Software tem que pagar salarios iguais, desde o presidente aos analistas. Como a Canonical vai igualar o salario da MSS sem quebrar? Ou os socios da MS vão ter que subsidiar todas as companias pequenas? A proposta de equiparação é linda, igual ao comunismo, mas o dinheiro tem que vir de algum lado, não é?

Maurício Luís *
Maurício Luís *
2 meses atrás
Responder para  Leonardo

É verdade, Leonardo. Você argumentou bem. Como dizem os americanos, ” Não existe almoço grátis”. Só não acho certo gente afirmando que o tênis feminino é pior que o masculino. Não é melhor nem pior. É diferente. Mas assim como houve evolução da década de 70 pra cá, acredito que aos poucos e com o tempo a equiparação será viável conforme houver aumento do interesse, patrocínio e arrecadação. Só que de uma hora pra outra, não tem mágica mesmo.

Leonardo
Leonardo
2 meses atrás
Responder para  Maurício Luís *

Pois é, esse é o ponto. E o divertido é que as mulheres podem virar o jogo. São 50% da população, mas de forma geral, poucas vão aos estadios e assistem jogos femininos. Uma vez fizeram uma enquete entre varias feministas que bradava igualdade salarial nos esportes masculinos e femininos, mas nenhuma ia a estadio, assistia jogos, ou mesmo conheciam as equipes. Estamos falando de futebol feminino, basquete, volei, tenis. Se as mulheres começarem a assistir os esportes femininos isso ajusta rapidamente, mas não interessa a elas dar audiencia, só reclamar.

Thiago Silva
Thiago Silva
2 meses atrás

Se ela quer igualdade mesmo então que dispute o circuito ATP, se ela conseguir ganhar dos homens é porque merece igualdade salarial.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
2 meses atrás
Responder para  Thiago Silva

Não me lembro de ter lido algo tão sem noção, infantil, imaturo e absurdo. Não sei se alguém algum dia lhe informou, mas mulher é diferente de homem. O tênis feminino não é inferior ao masculino. É diferente.

Cristiana
Cristiana
2 meses atrás

Ah é? As mulheres ganham percentualmente muito mais no tênis que os homens? Que percentuais você tem aí? Conta pra gente como você fez essa conta.
Homens injustiçados, tadinhos…

Helton
Helton
2 meses atrás

Não vai conseguir nada disso. Os torneios femininos não trazem tanto público, basta ver o Finals do ano passado. Ainda bem que ela não precisa, já é milionária.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
2 meses atrás
Responder para  Helton

Se você comparar os dias atuais com a década de 70, houve grande avanço. Então vão conseguir sim. Mas não é de uma hora para outra.

Helena Abreu
Helena Abreu
2 meses atrás

Não se pode igualar o que é diferente. Ocorre é que o tênis masculino tem mais jogadores do que o tênis feminino. O esporte tênis atrai mais os homens do que as mulheres. Já houve avanço nas premiações. Porém o que ocorre é que embora o esporte praticado por homens e mulheres seja o mesmo. Há 2 instituições: ATP que cuida do tênis profissional masculino e a WTA que cuida do tênis profissional feminino. A WTA tem que desenvolver o tênis feminino. E pelo que vejo a ATP está cuidando melhor do tênis do que a WTA.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE