PLACAR

Ostapenko volta a bater Iga e derruba a número 1

Jelena Ostapenko (Foto: Simon Bruty/USTA)

Nova York (EUA) – Assim como já havia acontecido nos outros três confrontos anteriores, Jelena Ostapenko voltou a superar Iga Swiatek e garantiu vaga nas quartas de final do US Open. A letã, atual 21ª do mundo, apostou em seu jogo agressivo e buscou a virada com parciais de 3/6, 6/3 e 6/1 em 1h47 de partida.

A derrota de Swiatek também terá um impacto direto no ranking. Atual campeã do US Open, a polonesa perde a liderança do ranking, que defendia há 75 semanas, após o torneio e Aryna Sabalenka será a nova número 1 a partir do dia 11 de setembro.

Ex-top 5 e campeã de Roland Garros em 2017, Ostapenko nunca havia passado da terceira rodada do US Open. A letã de 26 anos faz sua sétima participação em Nova York. Este ano, ela também chegou às quartas na Austrália. Sua primeira vitória contra Swiatek foi ainda em 2019 e na grama, quando a polonesa tinha só 18 anos. Depois, elas também se enfrentaram no final de 2021 em Indian Wells e no início do ano passado em Dubai, em uma equilibrada partida definida só no tiebreak do terceiro set.

A adversária de Ostapenko nas quartas de final será a norte-americana Coco Gauff, que vive o melhor momento da carreira aos 19 anos. Gauff está invicta há nove jogos e venceu 15 dos últimos 16 jogos que disputou, com direito aos dois maiores títulos da carreira, em Washington e Cincinnati. O histórico de confrontos entre Ostapenko e Gauff está empatado por 1 a 1.

Embora tenha sofrido uma quebra no game de abertura, muito por conta da dificuldade de colocar o primeiro saque na quara, Swiatek buscou a igualdade de imediato, com direito a um winner de devolução no break-point. E no encontro entre duas jogadoras de estilo agressivo e de muita potência nos golpes, a número 1 do mundo se mexia muito bem nos ralis de fundo para aguentar a pancadaria de fundo e ainda buscava soluções, com alguns slices e bolas mais altas para não dar ritmo à letã e contar com mais erros da adversária. Ela voltaria a quebrar para fazer 4/2 e não teria mais o saque ameaçado até o fim do set. A polonesa ainda teve sorte no penúltimo ponto da parcial, quando uma tentativa de buscar a paralela tocou na fita e caiu na quadra da adversária.

O segundo set começou melhor para Ostapenko, que novamente conseguiu uma quebra logo cedo e saiu vencendo por 3/0. Não havia tantas mudanças de direção nos ralis, majoritariamente com trocas de cruzadas entre as duas jogadoras. Mas a instabilidade da letã no saque possibilitou a reação de Swiatek, que devolveu a quebra de zero, no sétimo game da parcial. Mas quando perdia por 4/3, a número 1 do mundo colocou poucos primeiros serviços em quadra e sofreu com as devoluções agressivas da rival. Ostapenko sacou para o set e enfrentou um break-point, mas a polonesa jogou uma devolução de segundo saque para fora e perdeu a chance de se recuperar no set.

Ostapenko pegou o tempo de bola das devoluções e ganhou muita confiança. Logo no início do terceiro set, conseguiu uma quebra de serviço. E pouco depois, ampliou a vantagem para 3/0. Os games vinham sendo definidos de forma muito rápida, com poucas trocas de bola a cada ponto. A letã ganhou também o apoio da torcida no Arthur Ashe Stadium, enquanto a polonesa estava cada vez mais perdida em quadra. A jogadora acostumada a vencer suas partidas de forma bastante dominante no último ano e meio se viu nas cordas quando perdia por 5/0. Ela devolveu uma das quebras para evitar o ‘pneu’, mas Ostapenko seguiu muito superior e garantiu a grande virada.

Com bom desempenho no saque, Ostapenko disparou sete aces contra 3 de Swiatek e liderou a estatística de winners por 31 a 18. Ela cometeu só dois erros a mais, 20 a 18, e conseguiu sete quebras contra quatro da polonesa.

 

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Agassi recorda trajetória de drama e sucesso em Roland Garros

Os melhores lances de Iga Swiatek rumo ao tri no Foro Italico

PUBLICIDADE