PLACAR

Moyá conta saga de Nadal e revela otimismo

Foto: Reprodução/Instagram

Kuwait (Kuwait) – Longo parceiro de treinos e conquistas, Carlos Moyá deu detalhes do longo processo de recuperação do quadril de Rafael Nadal, que passou por cirurgia na metade do ano depois de muita relutância. O treinador revela que sua maior dificuldade foi conter o canhoto espanhol no retorno aos treinamentos e admite seu temor de como o corpo irá reagir quando vierem as competições de fato.

Moyá contou à ATP que a primeira decisão de Nadal foi tirar um longo descanso e tentar um tratamento não invasivo, mas quando ficou claro que não conseguiria competir decidiu pela cirurgia. “Foi quando ficou claro que o problema era mais delicado do que pensávamos. As muitas ressonâncias não mostraram o que havia e por isso a recuperação vinha sendo longa e difícil”. O treinador acredita que Rafa jamais teria voltado a jogar se não fizesse a operação.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

“Houve momentos difíceis porque não havia melhorias. Tivemos de ter muito cuidado com as cargas de treinamento. Assumimos muitos riscos para tentar a volta e o caminho era longo e tortuoso. Mas sempre mantivemos confiança”, contou Moyá. “Em vários momentos, parecia que havia chegado seu fim como tenista profissional”.

O treinador diz que foi difícil conter o ímpeto do pupilo nos treinamentos. “Foi difícil fazê-lo ver que não se poderia exigir tanto nos primeiros treinamentos, com o ritmo que está acostumado. Ele é um animal competitivo. Grande parte do nosso trabalho então foi freá-lo nos treinamentos, limitar as horas e a intensidade. Meu maior receio é como irá assimilar a sobrecarga das partidas. Não é fácil passar do treino para a competição”, indicou.

O período de treinamento no Kuwait ao lado da sensação francesa Arthur Fils, de apenas 19 anos, mostrou para Moyá que Nadal está em nível competitivo. “Ele chegou pensando que não seria capaz de se mostrar competitivo, mas agora está convencido de que pode. Está seguindo um progresso correto, queimando etapas pouco a pouco. Precisamos que jogue partidas e adquira ritmo”. Ela acredita que o tempo que resta até o retorno oficial em Brisbane será suficiente para que Rafa atinja o nível físico desejado.

Como estará Nadal até chegar em Roland Garros? Moyá prefere não fazer grandes conjecturas. “Faltam seis meses até lá e temos muitas incógnitas para resolver, mas é evidente que há muita esperança de se sair bem no seu torneio favorito”. E, é claro, o treinador e ex-número 1 do mundo diz que não mais o surpreende quando se trata de Nadal, principalmente depois da forma com que ganhou Roland Garros de 2022.

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
André
André
2 meses atrás

Retorno mais que esperado, afinal trata-se do maior jogador de todos tempos, atrás apenas de Federer, Djokovic, Sampras, Borg e Connors.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE