PLACAR

Monteiro: “Quero manter esse nível e ser consistente”

Foto: Corinne Dubreuil/ATP Tour

Madri (Espanha) – Com o fim da melhor participação em um Masters 1000 na carreira, Thiago Monteiro destacou os pontos positivos de sua campanha em Madri e também avaliou os aspectos em que precisa melhorar. Vindo do quali, o atual número 2 do Brasil e 118º do mundo venceu quatro jogos no torneio, um deles contra o sétimo do ranking Stefanos Tsitsipas no último sábado, até ser superado pelo tcheco Jiri Lehecka, 31º colocado.

“Fazer cinco jogos num torneio é sempre positivo, tive duas boas rodadas no quali e depois mais duas na chave principal, e hoje inclusive foi um jogo muito positivo e parelho, apesar da derrota”, disse Monteiro, em entrevista à ESPN, após a derrota por 6/4 e 7/6 (9-7) para Lehecka nesta segunda-feira. “Agora é levar essa confiança e jogar nesse nível com mais consistência. Venho treinando para buscar resultados como esse nos grandes torneios e agora é me preparar o melhor possível para Roma, que será mais uma semana importante”.

“Foi um jogo bem duro e equilibrado no final. Acho que ele foi muito corajoso nos momentos importantes, sacou muito bem durante o jogo inteiro. No primeiro set foi muito difícil entrar nos pontos, principalmente no saque dele. Depois fui me encontrando um pouco mais nas devoluções, usando melhor meu saque, mas ele é um jogador que coloca pressão o tempo inteiro, joga de forma agressiva, não te deixa muito confortável em quadra e conseguiu nos momentos importantes executar bem esse padrão”, avaliou o cearense, que vai subir para o 106º lugar o ranking.

“Eu busquei trazer o jogo para o meu lado da melhor forma que pude, tive um set-point com o segundo saque dele, mas ele picou bastante e acabei atrasando um pouquinho a bola. Foram detalhes, mas foi uma partida de alto nível e agora é tentar aprender com isso para levar essa confiança para os próximos torneios”, complementou o canhoto de 29 anos.

Estreia de duplas nesta terça-feira

Monteiro ainda seguirá em Madri para o torneio de duplas e estreia nesta terça-feira ao lado do italiano Flavio Cobolli. Eles enfrentam os franceses Sadio Doumbia e Fabien Reboul. “Dupla é um pouco diferente, vamos jogar contra uma parceria dura, mas vamos tentar desfrutar do momento e levar essa energia positiva e confiança também para a dupla, e tentar competir da melhor forma”.

Busca por vaga olímpica em Paris

Outro objetivo para o cearense na temporada é a classificação para os Jogos Olímpicos de Paris e ele tem duas chances de se classificar. A primeira é pelo ranking, mas teria que continuar recuperando posições até o fim de Roland Garros. Outra possibilidade é a partir de sua medalha de bronze no Pan de Santiago. Isso porque o argentino Facundo Diaz Acosta, que foi ouro no Chile, é apenas o 5º melhor jogaodr de seu país e os outros quatro compatriotas à frente dele no ranking estão em zona de classificação olímpica.

“Sem dúvida, a Olimpíada é dos grandes objetivos, um sonho que eu quero voltar a vivenciar. Eu fui para Tóquio, mas acho que essa de Paris vai ser um pouco diferente. No Japão teve toda a questão da pandemia, não podia ver outros esportes, não teve público nos jogos, então seria muito especial poder ter essa experiência olímpica novamente”.

12 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
João Sawao ando
João Sawao ando
1 mês atrás

Vamos Monteiro

andré
andré
1 mês atrás

Mesmo longe do seu melhor ranking, Monteiro ainda pode dar muita dor de cabeça nos caras lá de cima. Grande campanha essa de Madrid.

Sidney
Sidney
1 mês atrás

Ótimo torneio, teve a maior vitória da carreira.

Guilherme do ES Ribeiro
Guilherme do ES Ribeiro
29 dias atrás
Responder para  Sidney

Em termos de ranking para estatísticas, venceu o Rune na Copa Davis quando ele era 4 do mundo e o Alcaraz no RIO Open, quando era 2 do mundo. Mesmo com apenas um game jogado, este jogo conta para estatísticas. Mas concordo que olhando momento e todo contexto, essa vitória contra o Tsitsipas foi a maior, pois o jogo do Alcaraz só durou um game, puramente estatística, e o Rune na Copa Davis foi uma bela vitória, mas o Rune vinha em um mau momento. Tsistipas vinha de duas finais no saibro e um título de Master 1000

Marcelo Reis
Marcelo Reis
1 mês atrás

Dalcim, uma curiosidade: você tem acesso ao número de pessoas que leem uma reportagem específica? Ou ao menos sabe quantos leitores passam por aqui por dia? Obrigado.

José Nilton Dalcim
Admin
1 mês atrás
Responder para  Marcelo Reis

Sim, Marcelo, temos uma infinidade de métricas, algo essecial a nosso trabalho.

Marcelo Reis
Marcelo Reis
28 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Obrigado! Então quantas pessoas, em média, visitam este blog por mês? (Ou por dia, tanto faz!).

José Nilton Dalcim
Admin
28 dias atrás
Responder para  Marcelo Reis

Por contrato, não posso divulgar números, Marcelo.

Marcelo Reis
Marcelo Reis
28 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Poxa, que pena! Mas obrigado mesmo assim.

Paulo A.
Paulo A.
1 mês atrás

Está de parabéns pela campanha. Em Roma vai disputar o qualy de novo?

Thiago
Thiago
29 dias atrás
Responder para  Paulo A.

Vai. Dá pra ter esperança de ver furar o quali e ao menos atingir a R2, dependendo dos chaveamentos.

Rockton
Rockton
1 mês atrás

Eu quero ver papai Noel e ganhar uma Ferrari de presente.
Espectativa X realidade!

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Agassi recorda trajetória de drama e sucesso em Roland Garros

Os melhores lances de Iga Swiatek rumo ao tri no Foro Italico

PUBLICIDADE