PLACAR

Medvedev espera dar a volta por cima no Finals

Foto: Martin Steiger/Erste Bank Open

Turim (Itália) – Eliminado na fase de grupos no ano passado, com três derrotas, o russo Daniil Medvedev espera dar a volta por cima nesta edição do Finals. O número 3 do mundo se inspira no passado, uma vez que em 2019 também foi eliminado com três derrotas, mas na temporada seguinte voltou com tudo e foi campeão invicto do torneio, batendo os três melhores do ranking na campanha do título.

“Sinto definitivamente um pouco menos de pressão, porque antes de ganhar (em 2020), perdi três partidas consecutivas. Mas ao mesmo tempo o tênis é, digamos, uma coisa cíclica. Ano passado perdi três partidas, e todas foram bem disputadas, decidida no tiebreak do terceiro. E acho que em duas delas cheguei a sacar para fechar”, comentou o russo.

“Com certeza neste ano quero tentar ser melhor. E foi exatamente isso que aconteceu há alguns anos, quando consegui vencer. Então, vamos torcer para que seja a mesma história”, acrescentou Medvedev, que em 2022 amargou duas viradas na fase de grupos. Suas derrotas foram todas apertadas, jogando seis tiebreaks no decorrer do torneio.

A classificação de Medvedev para o Finals deste ano foi impulsionada por seu desempenho nos ATP 500, onde foi o maior vencedor do ano e inclusive levou uma premiação bônus por isso. “Tive uma temporada incrível em muitos níveis, mas os ATP 500 foram demais. Consegui muitos pontos e boas vitórias contra grandes jogadores. Comecei o ano muito forte ao vencer os dois primeiros que joguei em Roterdã e Dubai”.

Em Turim, o russo sabe que não terá moleza desde o primeiro jogo. “Você enfrenta os melhores jogadores do mundo. Então, quando chegamos ao final do terceiro set, é difícil para os dois, pois ambos sabem como lidar com essa pressão. No ano passado, não fui forte o suficiente para conseguir vencer. Este ano, vou tentar ser mais forte”, observou o número 3 do mundo.

O sistema de grupos, com três jogos para a classificação é um diferencial do torneio, que dá sobrevida aos jogadores, podendo alcançar as semifinais mesmo com uma ou duas derrotas. “Acho que o que muda é que se você perder uma partida, é aí que você tem uma segunda chance, o que no tênis não acontece, exceto neste torneio”, comentou Medvedev.

“Mas quando começa, o objetivo é não perder nenhuma partida, tentar vencer todas possíveis e chegar à final assim. Temos muitas histórias de alguém que perdeu a primeira partida e depois ganhou tudo. Então é isso que torna este torneio especial”, finalizou o russo.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE