PLACAR

Matos e Meligeni viram o jogo e classificam o Brasil

Rafael Matos (Foto: Divulgação/CBT)

Hillerod (Dinamarca) – Depois de duas vitórias na última sexta-feira, o Brasil fechou o confronto contra a Dinamarca pelo Grupo Mundial I da Copa Davis e garantiu vaga no Qualificatório Mundial de 2024. A vitória na série veio com Rafael Matos e Felipe Meligeni, que venceram uma difícil partida de duplas contra Johannes Ingildsen e Christian Sigsgaard por 6/7 (5-7), 7/5 e 7/6 (7-5) após 3h06 de disputa.

O confronto foi disputado em quadra dura e coberta. E havia a expectativa de que a Dinamarca escalasse seu principal jogador, o número 4 do mundo Holger Rune, também nas duplas. No entanto, a opção do capitão Frederik Nielsen foi colocar dois duplistas de ofício. Na última sexta-feira, Rune foi superado por Thiago Monteiro, em partida com 3h de duração. E logo depois, Thiago Wild confirmou o favoritismo contra August Holmgren.

Matos e Meligeni seguem invictos quando jogam juntos pela Copa Davis, vencendo partidas contra Portugal no ano passado e China no início da temporada. Paulista de 25 anos, Felipe Meligeni tem agora quatro vitórias e apenas uma derrota em duplas na Davis. Já o canhoto Rafael Matos, gaúcho de 27 anos, venceu seus quatro jogos de duplas pela competição. Além de Monteiro, Wild, Matos e Meligeni, o capitão Jaime Oncins ainda levou outro duplista de ofício, o gaúcho Marcelo Demoliner.

Com o confronto já definido por 3 a 0, a rodada deste sábado terá apenas mais um jogo para cumprimento de tabela. Marcelo Demoliner fará uma rara aparição em simples, contra o jovem de 20 anos Elmer Meoller. Será a primeira vez que o gaúcho de 34 anos joga simples na Davis. Ele tem quatro vitórias nas duplas.

O Brasil agora espera o fim da fase de grupos e também o restante dos confrontos do Grupo Mundial I para conhecer os possíveis adversários no início do ano que vem. Desde a mudança de formato na Davis em 2019, a equipe brasileira já disputou qualificatórios mundiais contra Bélgica, Austrália e Alemanha, mas não conseguiu avançar para a fase final. Além disso, esta é a primeira vitória do Brasil em um confronto na Europa desde 1999, quando o time de Gustavo Kuerten, Fernando Meligeni, Jaime Oncins e Márcio Carlsson venceu a Espanha em Lerida.

Partida de duplas com poucas quebras e dois tiebreaks
O primeiro set foi inteiramente sem quebras. A dupla dinamarquesa não enfrentou break-points, enquanto os brasileiros escaparam de um 15-40 no saque de Matos no oitavo game. Durante o tiebreak, Ingildsen e Sigsgaard venceram quatro pontos nas devoluções e fecharam a parcial.

Matos e Meligeni começaram o segundo set com quebra acima e saíram vencendo por 4/1. O gaúcho escapou de um break-point no sétimo game e permitiu que a dupla brasileira abrisse 5/2. Dois games mais tarde, com Meligeni no saque, os dinamarqueses salvaram três set-points e devolveram a quebra. Embora a dupla da casa tenha buscado o empate, os brasileiros retomaram a vantagem e voltaram a quebrar depois de uma dupla falta de Ingildsen no set-point.

A dupla brasileira aproveitou o bom momento na partida e conseguiu uma quebra no início do terceiro set para já abrir 3/0 no placar. Os dinamarqueses quebraram o serviço de Meligeni e buscaram o empate o equilíbrio prevaleceu até o fim do jogo. Os primeiros match-points da dupla brasileira foram com 5/4 no placar, mas Sigsgaard colocou uma sequência de ótimos saques em quadra e reverteu um 0-40.

A definição ficou para um novo tiebreak, e que desta vez foi dominado pela dupla brasileira. Matos encaixou dois wininers de devolução e os dinamarqueses cometeram erros nas disputas na rede que permitiram ao Brasil abrir 5-1 na virada de lado. A dupla da casa ainda salvou mais dois match-points antes que Meligeni confirmasse o serviço para definir a difícil vitória.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Toda a comemoração de Alcaraz na conquista de Roland Garros

Jannik Sinner é o 29º homem a liderar o ranking profissional

PUBLICIDADE