PLACAR

Lehecka fala sobre a importância do papel de Berdych

Foto: iDNES.cz

Indian Wells (EUA) – Fazendo uma grande campanha neste ano no Masters 1000 de Indian Wells, com vitórias sobre o russo Andrey Rublev e o grego Stefanos Tsitsipas, o tcheco Jiri Lehecka tem contado com uma ajuda de peso em sua equipe: o compatriota Tomas Berdych, com quem trabalha há quase um ano e que tem sido fundamental em seu desempenho na competição.

“As condições de jogo estão se adaptando muito bem a mim, mas não tive a mesma sensação no ano passado. Essa é uma das razões pelas quais vim aqui com o Tomas, para me ajudar um pouco mais com a experiência dele, com dicas que tem para me fazer passar por algumas situações difíceis na quadra”, afirmou o tcheco de 22 anos.

“Ele é muito profissional, muito dedicado ao sucesso e sabe o que o jogador sente. É nisso que ele está tentando intervir, me ajudar em algumas coisas específicas. Ele sabe que o momento importante é durante a partida em quadra e para isso estamos nos concentrando principalmente em fazer as coisas certas durante a partida e durante os treinos”, acrescentou Lehecka.

Questionado sobre os conselhos que Berdych tem passado, ele comentou alguns. “Trabalhar mais as pernas, trabalhar mais para frente e para trás. Ele também me contou a diferença nas condições quando está de noite e quando está ensolarado”, disse o atual número 32 do mundo.

Lehecka e Berdych não chegaram a compartilhar o circuito como profissionais e a parceria veio muito em função do treinador de Lehecka. “Não cheguei a cruzar com Tomas no circuito porque o último ano dele foi 2019, e eu me profissionalizei, quero dizer, ganhei meu primeiro challenger, em 2021”, afirmou o jovem tcheco.

“Mas o bom é que ele conhece muito bem o meu treinador, Michal Navratil. Eles se conhecem desde crianças e viajaram juntos no início da carreira. Ele esteve em Dubai no ano passado, onde nos conhecemos, e conversamos bastante. Perguntei se ele gostaria de viajar comigo para alguns torneios para me ajudar, ele gostou da ideia e então nos acertamos”, contou Lehecka.

“Nosso primeiro torneio juntos foi no ano passado em Monte Carlo, então este é nosso segundo ano juntos. Estamos muito, acho que ambos estamos felizes com nossa parceria. E além disso eu tenho uma boa equipe ao meu redor”, finalizou o tcheco, que nas quartas de final terá a árdua missão de desafiar o italiano Jannik Sinner.

2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Andre Borges
Andre Borges
4 meses atrás

Caraca eu achei que o Berdych ainda jogava, que estava na batalha tipo Gasquet. 4 anos já que parou….

Paulo Mala
Paulo Mala
4 meses atrás
Responder para  Andre Borges

Então vc não tem visto tenis… Talvez vc acompanhe apenas seu ídolo.
A meu ver, parece que ele não joga bem antes de 19

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE