PLACAR

Ivanisevic: “Vimos outro Djokovic a partir de sábado”

Foto: Corinne Dubreuil/ATP Tour

Turim (Itália) – Treinador do sérvio Novak Djokovic, o croata Goran Ivanisevic mais uma vez destacou a capacidade do pupilo, que no último domingo conquistou o ATP Finals pela sétima vez e se isolou como o maior campeão da história do torneio. O técnico de número 1 do mundo agradeceu Jannik Sinner por ajudá-lo na classificação e disse que o pupilo mudou completamente assim que chegou às semifinais.

“Tenho que agradecer um pouco ao Jannik por ele nos ter dado uma ajudinha para que chegássemos às semifinais. Mas eu sabia que, assim que Novak chegou à semifinal, ele iria vencer o torneio, a mentalidade mudou. Um novo Novak Djokovic chegou à quadra a partir de sábado e quando isso acontece, não há ninguém que possa enfrentá-lo”, afirmou o croata.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

“Posso ver nos olhos dele, na abordagem quando chega ao vestiário, quando vai à quadra de treino. O aquecimento foi diferente. Quando entrou em quadra contra Alcaraz pela primeira vez esta semana, ele estava desde o primeiro momento se estimulando, erguendo o punho. Ele foi muito positivo de certa forma”, disse Ivanisevic.

O treinador garantiu que podia ver nos olhos de Djokovic a diferença quando chegou a reta final da competição e que isso fez diferença na final de domingo, quando se vingou de Sinner. “É muito difícil vencer Novak duas vezes em uma semana no mesmo torneio. Hoje foi uma partida completamente diferente. Taticamente, Novak jogou completamente diferente do que na terça-feira”, analisou.

“É muito difícil melhorá-lo, mas ele quer melhorar. Isso é bom e ruim para mim como treinador e para o resto da equipe. Acho que ele melhorou muito os voleios, o jogo na rede e a posição na rede. Agora, quando ele vai para a rede – ok, hoje ele errou alguns voleios fáceis – mas geralmente tem feito alguns voleios incríveis”, comentou Ivanisevic.

Além de destacar sua posição na rede, o técnico enalteceu outros pontos de seu jogo. “Ele está acertando os forehands com muito, muito mais força, está indo para os tiros. Outra coisa é o saque, acho que o segundo saque às vezes ele bate mais de 200 km/h. Ele está simplesmente indo em frente”, finalizou.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Agassi recorda trajetória de drama e sucesso em Roland Garros

Os melhores lances de Iga Swiatek rumo ao tri no Foro Italico

PUBLICIDADE