PLACAR

Iga lamenta chances perdidas e destaca saque e jogo agressivo da algoz

Foto Corinne Dubreuil/FFT

Melbourne (Austrália) – A eliminação precoce na terceira rodada do Australian Open deixa muitas lições a serem assimiladas por Iga Swiatek. A número 1 do mundo lamentou as oportunidades perdidas na partida deste sábado contra a tcheca Linda Noskova, mas também destacou duas características fundamentais de sua algoz de apenas de 19 anos e 50ª do ranking. Swiatek relatou ter dificuldade de devolver o saque de Noskova, que fez 10 aces na partida, e destacou também jogo agressivo da jovem tcheca.

“Senti que tinha tudo sob controle até que ela me quebrou no segundo set. Tive algumas chances de quebrá-la naquele set e não as aproveitei. Isso é uma pena. Mas quando ela me quebrou, foi mais agressiva. Eu queria fazer isso também nos próximos games, mas estava com pressa. Eu simplesmente não estava jogando naturalmente. Terei que trabalhar em algumas coisas para me sentir mais confortável no próximo ano”, disse Swiatek após a derrota por 3/6, 6/3 e 6/4 em 2h20 de partida.

“Foi difícil ler o saque. Eu diria que ela tem o estilo da Sabalenka e da Rybakina em termos de posicionamento e velocidade, e eu não estava devolvendo no geral neste torneio da mesma forma que normalmente, especialmente nos segundos saques. Sei que fiz tudo o que pude para tentar fazer funcionar e não me arrependo. Mas tecnicamente não funcionou. Gostaria de ter jogado um pouco melhor neste torneio”, avalia a polonesa que teve sete break-points na partida, mas conseguiu apenas duas quebras.

Nas duas primeiras rodadas, Swiatek havia vencido a campeã de 2020 Sofia Kenin e a finalista de 2022 Danielle Collins. Ela negou ter sentido qualquer desconforto do ponto de vista físico, mas sente que precisa evoluir no mental. “Fisicamente, eu não senti nada. Sendo honesta, estava muito bem. Mas com certeza eu fiquei mais estressada do que em outros torneios, principalmente nas duas primeiras rodadas. Acho que algumas coisas não funcionaram como antes, embora eu estivesse trabalhando da mesma maneira”.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

“Sinto que fiz tudo o que pude na pré-temporada para melhorar algumas coisas que queria no meu jogo. Mas quando vim para cá, não estava mais jogando com naturalidade. Às vezes meu split step (passo de ajuste) era atrasado demais, meu tempo de reação era um pouco mais lento. Algumas outras coisas. Basicamente, sim, eu estava tentando apenas melhorar isso”, comenta a jogadora de 22 anos, que tem quatro títulos de Grand Slam.

“Acho que ela jogou sem qualquer pressão. Ela provavelmente sabia que não tinha nada a perder. Talvez eu devesse ter feito isso quando tive break- points, mas eu queria ser uma versão sólida de mim mesma”, avaliou a polonesa “Ela arriscou tudo. Lembro que coloquei apenas um primeiro saque durante aquele game, então talvez esse tenha sido o motivo. Lembro-me do quanto estava focada antes daqueles saques. Não sei por que não coloquei esses saques. Precisaria reassistir ao jogo. Ela aproveitou a chance e apostou tudo nas devoluções e depois confirmou os saques”.

Leia mais:

Noskova tem grande atuação e derruba Iga em Melbourne

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Haroldo Guimarães
Haroldo Guimarães
1 mês atrás

E tem gente que vai criticar a Iga agora??? Quebrou a Bolsa de Londres….kkkk. essa nova safra, ou “creche” como disseram aqui, acho que veio pra ficar. Vamos ver em RG e WB, pisos muitos diferentes.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE