PLACAR

Halle diversifica atrações e lota de turistas

Walter Topfstedt, de Halle
Especial para TenisBrasil

A experiência de viver na Alemanha nos reserva sempre surpresas. O “Terra Wortman Open” em Halle não é diferente. Na bucólica e pacata cidade de pouco mais de 20.000 habitantes na Renânia do Norte-Westfalia, no noroeste da Alemanha, acontece a 31ª edição de um dos torneios mais prestigiados da Europa.

Desde 2015 alçado à condição de ATP 500, o torneio de Halle tem como referência o calendário favorável na preparação para Wimbledon, na superfície de grama, o que ajuda muito a presença de jogadores entre os top 10 e 20, garantindo grande competitividade na chave principal.

O estádio principal pode ser coberto, o que garante a realização das partidas em qualquer condição metereológica. Existem outras três quadras descobertas para o torneio e as de treinamento, estas em área isolada do público e imprensa.

O complexo conta com uma arena multiuso para uma audiência de 11.500 pessoas, onde acontecem outros eventos esportivos, artisticos e musicais. Também fazem parte um clube esportivo, o hotel e um Centro de Convenções e Eventos. Existe a possibilidade de hospedagem na cidade de Halle também, que fica a dois quilômetros da arena.

Durante o torneio, é organizado um espaço ao redor da arena para os patrocinadores e parceiros, onde são oferecidos produtos, serviços e experiências. A área gastronômica também é diversificada, dentro da cultura da região do norte do país. Não podem faltar salsichas, hot-dogs, presunto, mas também pasta e batatas fritas, além dos doces e bolos também.

O público é diversificado, podendo facilmente se identificar os fãs, os mais aficcionados pelo tenis, e famílias em busca de um lazer no fim de semana.

Conversei com um casal que aguardava no trajeto entre as quadras de treino e o hotel, que vieram pela primeira vez, e a esposa é a fã do esporte, aguardando para receber o autógrafo na bola especialmente adquirida para isso. Eles moram em uma cidade cerca de 50 km da arena e usam a prática estação de trem.

O primeiro dia contou com o sorteio da chave principal e as entrevistas coletivas pré-torneio de Alexander Zverev e Jannik Sinner. Sascha foi o primeiro a responder aos jornalistas presentes e, a considerar a seriedade das respostas sobre Roland Garros, o desgaste natural de duas semanas, a semana seguinte de recuperação e as expectativas para o torneio. O bom humor só surgiu quando perguntado sobre o desempenho do selecionado de futebol da Alemanha, com a vitória no dia anterior sobre a Escócia, gerando a descontração total e sorrisos largos. Parece que a derrota na final ainda não está totalmente superada. A conferir esta semana.

Já com Jannik, ele foi atencioso e com respostas detalhadas, procurou complementar a pergunta com informações pertinentes. Curiosamente não houve questões em Italiano, somente em Inglês e Alemão, o que ele respondeu naturalmente.

O Brasil estará presente com João Fonseca, convidado dos organizadores, que andou treinando diariamente, bateu bola com Stefanos Tsitsipas neste domingo e conheceu também seu adversário, o australiano de 32 anos James Duckworth, que esteve entre os 50 do ranking.

4 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Gustavo
Gustavo
1 mês atrás

Torneio do RF é assim
Heheheh

Obs.: ele é o dono, não proprietário, eu sei hihihi

Adalberto
Adalberto
1 mês atrás

Bacana reportagem!
Dalcim,, fica a sugestão: Pega essa como exemplo!
Sempre antes dos torneios nos brinde com um ‘briefing’ das redondezas, kkk…
Obrigado!

Leandro Passos
Leandro Passos
1 mês atrás
Responder para  Adalberto

Adalberto, Dalcim sempre fez (e faz) reportagens especiais como esta há algum tempo.

Adalberto
Adalberto
1 mês atrás

Quanto ao Fonseca: Deveria estar mais leve e solto… 17 anos…
Mas quem quer ser #1 do mundo, não tem moleza!
Já vira uma criança adulta! kk…

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE