PLACAR

Halep vai recorrer da suspensão às últimas instâncias

Foto: Pete Staples/USTA

Bucareste (Romênia) – Logo após o anúncio da dura punição para Simona Halep, que foi suspensa por 4 anos após problemas no antidoping e com o Passaporte Biológico, a romena usou sua conta no Instagram para se pronunciar e avisou que irá recorrer à Corte Arbitral do Esporte (CAS/TAS) para tentar reverter a decisão imposta pela Agência Internacional para a Integridade do Tênis (ITIA).

Inconformada com o ocorrido, a ex-número 1 do mundo não apenas garantiu que irá recorrer da decisão, mas também reforçou sua inocência. Ela garante que sempre jogou limpo, que o problema com o antidoping foi pontual e devido a contaminação cruzada e ainda acusa as entidades regulatórias de falta de lisura no processo que levou sua suspensão, anunciada nesta terça-feira.

Leia na íntegra o comunicado de Halep:

Hoje, um tribunal formado pelo Programa Antidopagem do Tênis anunciou uma decisão provisória sobre o meu caso. O último ano tem sido a partida mais dura da minha vida e, infelizmente, minha luta continua. Dediquei toda minha vida para o belo esporte do tênis. Levei as regras que governam nosso esporte muito a sério e tenho orgulho de nunca ter ingerido propositalmente qualquer tipo de substância proibida e por isso eu me recuso a aceitar uma decisão de quatro anos de suspensão.

Em um relatório de 126 páginas, o tribunal concluiu que cometi ambas as acusações apresentadas pela Agência Internacional de Integridade do Tênis (ITIA), um teste de urina positivo em competição para uma substância proibida e uma violação do Programa de Passaporte Biológico de Atleta. Meus representantes e eu apresentamos à ITIA e ao tribunal evidências convincentes em apoio à minha defesa, incluindo diversas questões legítimas sobre as conclusões alcançadas em torno do teste do meu Passaporte Biológico de Atleta. Embora esteja grata por finalmente ter conseguido um resultado após numerosos atrasos infundados e uma sensação de viver no purgatório durante mais de um ano, estou ao mesmo tempo chocada e desapontada com a sua decisão.

Acredito em um esporte limpo e em quase duas décadas como tenista profissional, passando por centenas de torneios e dois títulos de Grand Slam. Fiz 200 exames de sangue e urina para verificar a presença de substâncias proibidas – todos limpos, até 29 de agosto de 2022. Antes da temporada de quadra dura em 2022, por recomendação de minha equipe de confiança e fisioterapeuta, ajustei meus suplementos nutricionais. Nenhum dos ingredientes listados incluía substâncias proibidas, mas sabemos – e o tribunal concordou – que um deles estava contaminado com roxadustat. Fui testada quase semanalmente após meu teste inicial positivo até o início de 2023, e todos deram negativo.

Apesar desta evidência, a ITIA apresentou uma acusação sobre meu Passaporte Biológico apenas depois do seu grupo de peritos ter descoberto a minha identidade, fazendo com que dois em cada três mudassem subitamente de opinião a favor das alegações da ITIA. A ITIA baseou-se apenas nas opiniões destes especialistas que analisaram apenas os meus parâmetros sanguíneos, que eu tenho mantido durante mais de 10 anos no mesmo intervalo. Este grupo ignorou o facto de nunca ter sido encontrada nenhuma substância proibida nas minhas amostras de sangue ou de urina, com a única exceção de um teste positivo para roxadustat em 29 de Agosto, que estava presente num nível extremamente baixo e que, ao considerar o meu teste negativo três dias antes, só poderia ter sido causado por exposição acidental ao roxadustat.

Sou eternamente grato pela manifestação de apoio que recebi de minha família, amigos e fãs de tênis em todo o mundo. Continuo a treinar e a fazer tudo o que estiver ao meu alcance para limpar o meu nome destas falsas alegações e regressar às quadras. Pretendo recorrer desta decisão para o Tribunal Arbitral do Esporte e recorrer a todos os recursos legais contra a empresa de suplementos em questão.

Simona

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE