PLACAR

Gauff diz que jogou para o gasto, mas celebra reação

Foto: WTA

Melbourne (Austrália) – Pela primeira vez em cinco jogos neste Australian Open, a norte-americana Coco Gauff enfrentou mais dificuldades e chegou a ceder um set para a ucraniana Marta Kostyuk, vencendo a partida de quartas de final pelo placar de 7/6 (8-6), 6/7 (3-7) e 6/2. Incomodada, com a própria atuação, a jogadora de 19 anos enfatizou que não jogou no seu melhor nível, mas ficou satisfeita com o poder de reação, principalmente no primeiro set após estar perdendo por 5/1.

“Acho que hoje foi definitivamente uma partida nota C (na média), na qual não joguei meu melhor tênis. Foi frustrante porque eu sabia como precisava jogar e simplesmente não consegui executar. Por fim, consegui encontrar o meu jogo e é disso que me orgulho. Resolver problemas é parte do tênis e estou muito orgulhosa por ter conseguido superar a partida de hoje”, analisou a atual número 4 do mundo.

Apesar de reconhecer que não fez um bom jogo, Gauff não soube identificar exatamente o que aconteceu de errado diante de Kostyuk. “Quando me aqueci esta manhã eu estava batendo e sacando bem. Tive dois breakpoints a favor no primeiro game e ainda me sentia bem. Então não sei onde tudo aconteceu, para ser sincera. Apenas percebi que estava indo para as jogadas que normalmente faço e estava errando por muito. Isso foi frustrante, mas, mais uma vez, estou feliz por ter conseguido sobreviver”, completou.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

Na próxima rodada, Gauff enfrentará a bielorrussa Aryna Sabalenka pela sexta vez na carreira, tendo vantagem de quatro vitórias e duas derrotas. No encontro mais recente, a norte-americana ganhou de virada na final do US Open, em setembro. Para a jovem tenista, este será mais um duro duelo diante da vice-líder do ranking feminino e atual campeã em Melbourne.

“Contra Aryna são sempre batalhas muito difíceis, assim como foi na decisão em Nova York. Acho que ela está jogando bem neste torneio e de qualquer forma será uma partida complicada. Estamos nas fases finais de um Grand Slam e nós duas estamos em boa forma”, destacou.

Seja para superar Sabalenka ou qualquer outra adversária, Coco conhece muito bem suas próprias qualidades e elencou as principais armas que pode utilizar nos grandes jogos. “Acho que definitivamente [meu ponto forte] é o meu movimento. Quando meu saque está ativado, também é uma grande arma para mim. O mesmo acontece com as devoluções. Não devolvi muito bem hoje, mas normalmente me saio bem com isso. Também acho que minha força mental me ajudou em muitas partidas e sinto que sou uma das mais fortes do mundo nesse aspecto, tentando buscar o meu melhor para reiniciar após cada ponto”, pontuou.

2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
SANDRO
SANDRO
5 meses atrás

Para GAUFF: Se não quiser ganhar uma BICICLETA de presente da SABALENKA, vai ter que jogar muito, hein???

Ubiratan (Black)
5 meses atrás

Espero que seja um ótimo jogo para assistir! que as duas joguem perto do que conseguem jogar e que a melhor no dia vá pra final.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Alcaraz e Murray: treino entre campeões em Queen's

Os melhores lances da campeã Boulter na grama de Nottingham

PUBLICIDADE