PLACAR

FRASES: saiba o que comentam em Nova York

“Com certeza, ela joga bem contra mim. Mas estou surpresa que meu nível tenha mudado tão drasticamente, porque geralmente quando jogo mal, jogo mal no início, depois resolvo os problemas. Desta vez foi totalmente o contrário. Eu realmente não sei o que aconteceu com meu jogo. Tenho que assistir e ver porque, eu realmente não sei por que comecei a cometer tantos erros.”
Iga Swiatek, após a derrota para Ostapenko.

“Isso significou muito, obviamente. Foi ótimo. Por outro lado, esta última parte foi bastante cansativa. Ainda preciso fazer todas essas coisas que meu time e os grandes jogadores como Roger ou Novak ou Rafa falam: você só precisa focar nos torneios, não nos rankings. Normalmente, não olho para números, mas no geral adoro-os. Eu adoraria estender esse álbum um pouco mais. Isso é algo que quando eu era mais jovem, eu realmente queria quebrar algum recorde. Já fiz isso porque já ganhei um Slam como primeira jogadora polonesa.”
Swiatek sobre perder o nº 1 do mundo.

“Com certeza, quando isso acontece, surgem algumas emoções tristes. Com certeza, além dessa partida, que foi bem estranha, sinto que estou progredindo como jogadora. Eu tenho mais habilidades. Esta temporada foi – ainda é – a parte mais difícil para mim, muito difícil e intensa. Não é fácil lidar com tudo isso. Estou feliz por ter tempo para reiniciar um pouco.”
Swiatek sobre a difícil temporada.

“Eu não diria “alívio”. Há muitas coisas que eu sei que deveria ter feito diferente. Talvez eu ainda não esteja madura o suficiente para fazer isso. Estou realmente trabalhando duro para não pensar muito nessas coisas. Às vezes, quando você se força a não pensar nas coisas, o resultado é o oposto. Estou muito feliz por ter pessoas inteligentes ao meu redor e elas estão me dizendo como fazer e me orientando. Mas cabe a mim realmente fazer isso acontecer. Com certeza, da próxima vez que estiver na mesma situação, farei algumas coisas de maneira diferente porque, sim, foi um pouco estressante e não deveria ser.”.
Swiatek sobre a pressão de ser nº 1.

“Minha história favorita de Brad (Gilbert) é que ele jogou praticamente todas as partidas com um Jolly Rancher na boca. Ele tem me dado Jolly Ranchers o tempo todo. Eu pego, mas não como. A esta altura, não posso ter Jolly Ranchers a cada cinco minutos. Ele também não gosta de números pares, só gosta de números ímpares. Você pergunta que horas são, ele dirá 13h53 ou 13h59. Ele não dirá 12 ou algo básico. Ele é um homem muito peculiar.”
Coco Gauff sobre o técnico Brad Gilbert.

“Sabia que ela é uma grande jogadora e muito, muito consistente nos últimos anos. Também sabia que ela sofreria toda a pressão por ser a número 1 e que se perdesse para mim hoje, ela perderia o primeiro lugar. Eu só estava tentando dificultar as coisas para ela, jogar meu jogo e lutar até o último ponto.”
Ostapenko sobre sua estratégia.

​“Acho que ela não gosta muito de jogar contra grandes rebatedores. Ela gosta de ter algum tempo. Quando jogo rápido, agressiva e forte, ela fica um pouco encrencada.”
Ostapenko sobre Swiatek.

“A energia é uma loucura. É legal quando você tem 23 mil pessoas vindo e vendo duas pessoas indo para a guerra. É bem surreal… Vibração, com certeza. São 23 mil pessoas. Parece que há um milhão de pessoas lá.”
Frances Tiafoe sobre jogar no Arthur Ashe Stadium.

“Eu só quero dormir. É isso, nada mais.”
Daniil Medvedev, cuja jogo contra Sebastian Baez, pela terceira rodada, só começou pouco antes das 23h e se estendeu até 1h29

“Estou realmente animado, depois de uma partida como essa. Estou muito feliz por estar entre os oito finalistas. Um sonho para mim desde que eu era criança.”
Ben Shelton após vencer Tommy Paul por 6/4, 6/3, 4/6 e 6/4.

“Ele é um jogador extremamente forte – bate forte na bola, saca forte, jogando o braço inteiro naquela coisa. Ele é muito animado, vem para a rede, tem ótimos voleios, é muito atlético, é um ótimo jogador. Ele é divertido de se assistir, fica dizendo alto ‘Vamos!’ desde o primeiro ponto da partida até o último. Ele tem muita energia, ele é ótimo para o esporte.”
Frances Tiafoe sobre Ben Shelton.

“Você quer tirá-los do ritmo, mas não quer ser desrespeitoso de forma alguma. Eu tento ser excessivamente respeitoso. Talvez isso o tire do ritmo. Como nas trocas, tipo, ‘Cara, você está servindo muito bem hoje’, esse tipo de coisa. Acertei-o com alguns desses hoje, mas ele não teve reação a isso. Não estava realmente funcionando.”
Tommy Paul, que fez o possível para abalar Ben Shelton.

“Acredito que com o meu jogo posso estar no topo.”
Karolina Muchova

“Não demonstro muito quando estou muito feliz ou muito triste. Tento ser muito neutra.”
Sorana Cirstea

“Não acho que exista nenhuma mágica, nenhuma chave. Eu gostaria de ter, para poder ligá-lo e desligá-lo. Mais cedo ou mais tarde, se você trabalhar duro, isso acontecerá.”
Sorana Cirstea

“Sempre fui uma lutadora. Sempre fui uma trabalhadora esforçada. Independentemente de estar ganhando muito ou não, tenho trabalhado para tentar me tornar um tenista melhor. Isso não muda agora. Posso ser mais velha, mas ao mesmo tempo ainda sou lutadora.”
Caroline Wozniacki

“Na vida, cada um passa por sua jornada de maneiras e momentos diferentes. Só porque sua primeira vitória em um torneio é um Grand Slam não significa que você terá uma carreira absolutamente de estrelas mais tarde, ou apenas porque você vence rapidamente ou tarde, isso realmente não define quem você é. No final das contas, cada um tem seu próprio caminho.”
Caroline Wozniacki

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Alcaraz e Murray: treino entre campeões em Queen's

Os melhores lances da campeã Boulter na grama de Nottingham

PUBLICIDADE