PLACAR

Fonseca marca 14 aces, mas para no experiente Duckworth

Foto: Mathias Schulz/Terra Wortmann Open

Halle (Alemanha) – Não durou muito a participação do carioca João Fonseca no ATP 500 de Halle. Convidado da organização, o brasileiro de 17 anos fez um jogo parelho, mas não resistiu ao embalado australiano James Duckworth, que veio do quali, e acabou eliminado na estreia da competição, caindo com um duplo 6/4 em 1h29 de confronto.

Disputando apenas sua terceira chave principal de nível 500 na carreira, Fonseca cai pela segunda vez ainda na primeira rodada, repetindo o resultado do Rio Open de 2023. Na atual temporada, ele voltou ao torneio carioca e chegou às quartas de final. Em abril, a jovem promessa nacional também recebeu convite para o seu primeiro Masters 1000 e ganhou uma partida em Madri.

Na atual temporada de grama, João soma agora duas vitórias e três derrotas, tendo alcançado a segunda rodada nos challengers de Surbiton e Nottingham nas últimas semanas. Ele agora aguarda por uma vaga no qualificatório de Wimbledon, ocupando neste momento a terceira posição na lista de espera para entrar na fase prévia. No entanto, o torneio londrino ainda não anunciou seus convites para esta edição, o que certamente deve abrir espaço para o brasileiro entrar na etapa classificatória.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Duckworth, por sua vez, segue à próxima fase para enfrentar o polonês Hubert Hurkacz, nono melhor jogador do mundo e quinto principal inscrito da competição, que na estreia passou pelo italiano Flavio Cobolli. Os dois já se enfrentaram uma vez no circuito, com vitória de Hurkacz em três sets nas quartas de final do Masters 1000 de Paris em 2021. Ex-top 50, o australiano é o atual 88º colocado no ranking e precisou disputar o qualificatório em Halle, eliminando o russo Aslan Karatsev e o francês Corentin Moutet.

Fonseca marca mais aces, mas esbarra na solidez do rival

O game inaugural da partida foi uma amostra do que seria todo o primeiro set, com João Fonseca sendo bastante pressionado em seu serviço. Logo de cara, ele precisou salvar três break-points e o fez com ótimos saques, disparando seis aces. Duckworth voltaria a ter chances de quebra em todos os games de serviço do brasileiro no set inicial e concretizou uma delas no sétimo game. O australiano fazia um jogo seguro com o próprio saque e só teve dificuldades na hora fechar a parcial, precisando de quatro set-points para abrir 1 a 0.

Pela primeira vez em toda a partida, Fonseca confirmou um game de saque sem ir para o 40-40, inaugurando o placar da segunda parcial com um belo voleio. Apesar disso, o brasileiro seguia sem incomodar o serviço do australiano e, para piorar, acabou tendo o seu próprio saque quebrado no terceiro game.

João só foi ter seu primeiro break-point no sexto game do segundo set, mas Duckworth se salvou muito bem com um ace aberto. O brasileiro voltou a ter uma oportunidade de quebra no oitavo game depois de uma linda passada de direita na paralela, mas novamente o australiano usou um ótimo serviço para evitar o empate. Depois disso, Duckworth precisou confirmar seu saque apenas mais uma vez para concretizar a vitória.

O brasileiro terminou a partida com quase o dobro de aces do rival (14 a 8) e uma porcentagem melhor de acerto do primeiro serviço (60% a 57%), no entanto Duckworth concretizou mais pontos com o primeiro (71% a 69%) e principalmente com o segundo saque (73% a 44%).

56 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Aridelson Rue
Aridelson Rue
27 dias atrás

Se quiser arrumar alguma coisa nessa gira de grama tem que melhorar muito! Decepcionante até o momento.

Bernardo Oliveira
Bernardo Oliveira
27 dias atrás
Responder para  Aridelson Rue

Vai procurar ver quantos sulamericanos de 17 anos na história já receberam WC pra jogar ATP 500 na grama (e jogaram de igual pra igual com veterano top 100) antes de vir aqui falar m****

Ademir Azzi Junior
Ademir Azzi Junior
27 dias atrás
Responder para  Bernardo Oliveira

Acho que não precisa nem fazer o recorte de sulamericanos de 17 anos, quantos sulamericanos do circuito atual fariam mais de 6 games no Duckworth na grama?

Gustavo
Gustavo
27 dias atrás
Responder para  Bernardo Oliveira

Desenha pra ele

Ricardo
Ricardo
27 dias atrás
Responder para  Aridelson Rue

O moleque tem 17 anos!! Como vc era com essa idade?
Só de ser convidado já é um grande reconhecimento
Menas meu velho!

Aridelson Rue
Aridelson Rue
27 dias atrás
Responder para  Ricardo

Isso aqui e um local para debate sobre tênis. Não sobre minha vida pessoal.

Última edição 27 dias atrás by Aridelson Rue
Rockton
Rockton
27 dias atrás
Responder para  Ricardo

Só para constar, o convite nesse caso não tem nada a ver com reconhecimento. A questão é puramente financeira. Federer e outros investidores colocaram grana no Fonseca e querem retorno financeiro, por isso “CONSEGUIRAM” esse convite para o Fonseca. Federer já ganhou esse torneio 10 vezes, ele é praticamente dono do torneio (kkk). Fonseca é muito bom e não estou querendo desmerecê-lo, é que, nesse caso, vale a sabedoria do dito popular: Tudo, absolutamente tudo, nesse mundo gira em torno de dinheiro e/ou poder.

Andre Borges
Andre Borges
27 dias atrás
Responder para  Aridelson Rue

Acho que precisa trocar o técnico, talvez contratar um psicólogo. Vc não acha?

Guilherme Gomes
Guilherme Gomes
27 dias atrás
Responder para  Andre Borges

Claro que não!

Thiago Silva
Thiago Silva
27 dias atrás
Responder para  Aridelson Rue

Decepcionante? O rapaz tem 17 anos, jogou contra um adversário com melhor ranking e muito mais experiente, a expectativa pra partida era de derrota mesmo, o Fonseca vencer seria uma zebra.

Benhamin Goveia
Benhamin Goveia
27 dias atrás
Responder para  Aridelson Rue

Bem que vovó dizia “meu fi meu fi, tu vai ver coisa tu vai ver coisa” eu falava “é mentira de dindinha”. Esse seu comentário exemplifica tudo isso.

James Garcia
James Garcia
27 dias atrás
Responder para  Aridelson Rue

Não acho decepcionante não, pelo menos não levou um pneu contra um adversário de ranking bem superior tá ótimo. Com 17 anos o caminho é esse mesmo vai perder algumas até ganhar ritmo de competidor profissional

Renato
Renato
27 dias atrás
Responder para  James Garcia

Exatamente. Conseguiu ganhar 8 games, não jogou mal. Tá trilhando um bom caminho no profissional. Um pouco mais de experiência e os resultados devem melhorar.

Beto_poa
Beto_poa
27 dias atrás
Responder para  Aridelson Rue

Quantos do top 10 atual faziam melhor que ele aos 17 anos ?

Haroldo Guimarães
Haroldo Guimarães
27 dias atrás
Responder para  Aridelson Rue

Só a título de comparação o Carlos Alcaraz , que acho que vc conhece, terminou na posição 141 quando tinha 17 anos, o ano ainda não acabou para Fonseca, mas mesmo que terminasse hoje seriam 60/70 posições de diferença… muito pouco. Ele mesmo disse que foi para se adaptar e treinar e pensando em WB , que nem foi qualificado ainda. Não somos ganhadores ou perdedores , somos realistas com os fatos e num determinado tempo. Não queira que um jovem aprendiz pense ou faça algo igual a um supervisor de departamento.

Renato
Renato
27 dias atrás
Responder para  Aridelson Rue

A questão de ter que melhorar é fato. O cara tem 17, mal iniciou a jornada de forma profissional, com certeza tem que melhorar. Agora, decepcionante não foi, tá no caminho certo e os bons resultados logo virão. Vai vendo aí.

Sidney Allan
Sidney Allan
27 dias atrás

Por mais que tivesse pressionado no saque ainda assim o placar foi apertado. Vai ganhando rodagem e experiência.

david
david
27 dias atrás
Responder para  Sidney Allan

concordo

Paulo A.
Paulo A.
27 dias atrás
Responder para  Sidney Allan

Gostei muito do que vi o João fazer nesse jogo. É impressionante o talento dele – e na grama, o piso mais difícil e traiçoeiro do tênis, ainda mais para sul americanos. Mas hoje o adversário jogou bem demais, além de ser o natural favorito. Fica o grande aprendizado.

Paulo Mala
Paulo Mala
27 dias atrás

Precisamos ter calma. Muita gente pensou que ele iria ultrapassar nossos raquetes 1 e 2 esse ano, mas as coisas não são assim.

Lucas F.
Lucas F.
27 dias atrás

Sinceramente, por enquanto o João não tem se mostrado muito promissor nesses torneios importantes. Espero que tenha melhores resultados nas quadras duras, pelo menos. Mas ainda precisa melhorar muito pra ser competitivo contra os top 100..

david
david
27 dias atrás
Responder para  Lucas F.

e vc deve ser um genio

Beto_poa
Beto_poa
27 dias atrás
Responder para  Lucas F.

normal, vai demorar ainda um pouco para se mostrar promissor.

Maurício
Maurício
27 dias atrás
Responder para  Lucas F.

Só uma pergunta, como foram os argentinos? Só acho que o número 30 perdeu para o jogador q o João perdeu semana passada, e aí? Cadê os argentinos????

Fernando Romero
Fernando Romero
27 dias atrás

Eu não diria decepcionante, mas um choque de realidade. Pelo visto, o Fonseca vai ter que comer muita poeira pra enfrentar esse nível de torneio. O placar pode aparentar jogo apertado, mas vamos ser realistas; foi uma aula de tênis. Bastava não entrar o primeiro serviço, e era um sofrimento ponto a ponto sem fim. Apesar da melhora do Fonseca no segundo set, o australiano não se sentiu incomodado em nenhum momento do jogo. O Meligeni já se foi também. E a Haddad Maia está uma quebra atrás no primeiro set. Pelo jeito, vamos para outra curta semana tenistica.

Haroldo Guimarães
Haroldo Guimarães
27 dias atrás
Responder para  Fernando Romero

Porque curta , se tivemos um vice do Boscardin em CHG e um título de duplas no Melo/MAtos, toda semana temos brasilieiros chegando em semi ou final ( normal quartas)

Leonardo Moura
Leonardo Moura
27 dias atrás

Derrota normal, Duckwort, estava com ritmo de qualy, nenhuma surpresa, mas João vem evoluindo bastante, pegando ritmo com grandes adversários, mas os haters brasileiros não tem paciência alguma. Imaginem hoje os haters russos, Rublev perdeu para Giron

david
david
27 dias atrás
Responder para  Leonardo Moura

concordo

Jorge Luiz
27 dias atrás

O jogo era muito duro,o australiano vem embalado

david
david
27 dias atrás
Responder para  Jorge Luiz

concordo

Gil Oliveira
Gil Oliveira
27 dias atrás

Fonseca estava tentando terminar os pontos cedo, parecia afobado, apressado. E o australiano seguia colocando bolas beeem no fundo perto da linha e o Fonseca, em geral um tanto mal colocado, um tanto atrasado no posicionamento, colocou mil bolas para fora, muitos ENF… coisa de não entender bem a grama. Na minha humilde opinião, faltou experiência, o que é supercomum, já que o gringo tem mais rodagem, já tinha duas partidas pelo qualy, e a bola dele resolveu entrar, era um bom dia… só isso… ano que vem, ele pode entrar pelo ranking ou pelo qualy e terá ainda 18 anos… daqui a 2 anos, ele poderá entrar por ranking ou qualy e terá só 19 anos… é só refletir que Fonseca já teve ótimos jogos, lampejos de craque e está só na 1a temporada, em seus primeiros torneios. Não é um Alcaraz, nem um Sinner, mas tem tudo para dar alegria pros seus torcedores.

david
david
27 dias atrás
Responder para  Gil Oliveira

O australiano tem mais de 30 anos acostumado com a grama vindo do qualy duplo 6 a 4 é um resultado melhor do que o esprado o normal seria duplo 6 a 0

Gil Oliveira
Gil Oliveira
27 dias atrás
Responder para  david

Concordo com sua opinião, é mais ambientado e tarimbado.

André Aguiar
André Aguiar
27 dias atrás
Responder para  Gil Oliveira

É isso. Tem que ser passo a passo. Cada tenista progride de um jeito. Você citou Alcaraz e Sinner. Fui pesquisar o desempenho deles no ano em que completaram 18 anos.
Alcaraz:
4 títulos: 2 CH, 1 de 250, NG Finals.
AO: R2 (furou o quali)
RG: R3 (furou o quali)
WB: R2 (entrou como n° 75)
USO: QF

Sinner:
5 títulos: 2 de ITF, 3 de CH.
AO: não jogou
RG: não jogou
WB: Q1 (entrou como n° 209)
USO: R1 (furou o quali).

Haroldo Guimarães
Haroldo Guimarães
27 dias atrás
Responder para  André Aguiar

parabens pelos números, é isso mesmo e tem gente achando o Fonseca decepcionante, nem Djoko, nem Federer, nem Nadal aos 17 tem numeros tão melhores, pra não falar de outros

Andrade
Andrade
26 dias atrás
Responder para  André Aguiar

Esses 2 é melhor não comparar com o Fonseca. Alcaraz e Sinner são muito fora da curva, irão dominar o circuito por muitos anos. João Fonseca é talentoso, mas bem menos que esses 2 extraterrestres, se o brasileiro terminar esse ano no Top 180 tá excelente!

Beto_poa
Beto_poa
27 dias atrás
Responder para  Gil Oliveira

o Sinner entrou no top100 com quase 19 anos e sofreu muitas derrotas; estava desacreditado até 2 anos atras.

Ramiro Cora
Ramiro Cora
27 dias atrás

Obvio que temos que continuar torcendo pela melhora do João, assim como de todos/as os/as tenistas que nos representam…. Porém, acho que deveríamos de colocar menos expectativas, pela paz do atleta de só 17 anos, e pela tranquilidade da gente. As vezes parece que temos a absoluta certeza de que ele chegará ao top-10, logo, logo.
O J. Fonseca, por enquanto, é uma esperança, sim…. lembrando que Esperança, é uma espera com ânsia. rsrsrs

Rocky Balboa
Rocky Balboa
27 dias atrás

Derrota era esperada, Duckworth é um jogador razoavel nesse tipo de piso, alem de ter grande experiencia. O Fonseca precisa melhorar a consistencia do seu jogo (no geral, em todos os pisos), do contrário irá sempre alternar grandes momentos com derrotas decepcionantes. A chave para uma carreira consistente é a solidez e regularidade, contam mais do que lampejos isolados.

James Garcia
James Garcia
27 dias atrás

Deu a lógica né? Um adversário bem mais experiente e forte se tivesse vencido seria surpresa do João. Até ele ganhar mais idade, mais bagagem no circuito e ser um jogador que consegue ir longe nos torneios vai demorar. Certamente a equipe dele deve estar trabalhando para que o João tenha paciência, vamos torcer

Tomé
Tomé
27 dias atrás

Muitos desses 14 aces foram pra salvar break-points que ele teve contra no 1o set em todos os games de saque. A verdade é que Fonseca não jogou bem e viveu de lampejos. Nunca esteve confortável, sempre correu atrás e a imensa maioria dos pontos com mais de 2 trocas eram dominados pelo australiano. Faltou um pouco de tudo, de movimentação a variações. Valeu pelo aprendizado e pela experiência, mas para subir de patamar precisa de bastante coisa ainda. Pés no chão, treino duro e bola prá frente.

Scott
Scott
27 dias atrás

Os brasileiros precisam calibrar as expectativas. JF não é um Alcaraz, Nadal, vai demorar algum tempo para amadurecer a ponto de chegar a um bom ranking.

Horacio
Horacio
27 dias atrás
Responder para  Scott

Guga virou celebridade depois de ganhar seu primeiro RG. Nos queremos fazer celebridades desses meninos, Wild e Fonseca, com apenas um ATP 250 ou um Challenger. Aí eles, que não estão preparados para isso, contando com o elogio fácil de certo jornalismo e com um eficiente lobby acham, com alguma dose de arrogancia, que já são estrelas.
Guga teve a vantagem de que o tênis na sua época era pouco conhecido no Brasil. Além de ter uma educação que fez com que nunca deixasse de ser o manezinho da ilha, porém querido por todo o mundo incluindo o difícil público portenho que em cada oportunidade manifesta sua admiração para com ele.

Álvaro Canto de Campos
Álvaro Canto de Campos
27 dias atrás

De positivo hoje, só o saque!
Facilmente batido nas trocas de bola…

Antônio Luiz Júnior
Antônio Luiz Júnior
27 dias atrás

Fonseca não era o favorito para este jogo e perdeu para um tenista muito mais experiente, especialista em grama, que já foi 46º do mundo e deixou pelo caminho no quali Karatsev e o Moutet. Acho criminoso qualquer comentário depreciativo sobre um garoto de 17 anos que entrou num ATP 500 por convite da organização. Está jogando na gira da grama para aprender e para ganhar experiência. Fez um bom jogo, foi menos consistente, apesar do 14 aces, e mereceu ser derrotado. Apenas mais um passo importante na sua carreira vitoriosa. O que ele menos precisa neste momento são destes comentários destrutivos que alguns insistem em fazer, tentando depreciar um grande talento do tênis brasileiro.

Felipe Rossa
Felipe Rossa
27 dias atrás

Pessoal reclamando do João é florida!
O processo é este, basta compará-lo com todos top 10 atuais, ele só não é melhor que Alcaraz nesta idade.

Deca
Deca
27 dias atrás

Fora toda diferença de experiência e ranking, o dia não me pareceu dos melhores, muito mal nas trocas. Apesar de tudo, me impressiona como conseguiu conduzir para uma partida com diferença pequena no placar, contra um adversário que quase não errou. Quase devolveu a quebra no segundo, o que incomodaria muito o adversário. Parabéns, é um prodígio, se continuar evoluindo (e vai), prevejo muitas alegrias pra nós torcedores.

Haroldo Guimarães
Haroldo Guimarães
27 dias atrás

PArabens Fonseca, Continue assim treinando e aprendendo , o ano que vem pode ser cobrado. step-by-step

Beto_poa
Beto_poa
27 dias atrás

no momento devido ao processo de aprendizado e falta de experiência, ele esta tentando ganhar os jogos impondo seu jogo ou a maneira que ele mais gosta de jogar ( o que é correto também ); as vezes funciona mas as vezes pode até fazer um jogador mais limitado com mais bagagem jogar melhor…com o tempo ele vai aprender a dosar a adrenalina e explorar mais as brechas e defeitos no jogo de um tenista tipo Duckworth ou Harris.

Matheus Ferreira
Matheus Ferreira
27 dias atrás

Fonseca foi bem, qualquer outro juvenil com essa idade,tomaria um duplo 6×1 fácil,o garoto segue ganhando experiência para num futuro próximo nos dar muita alegria.

Marcelo
Marcelo
27 dias atrás

João está em formação, precisa jogar bastante e vencer várias faz bem. Penso que Master 500 ou 1000 é um pulo muito grande, traz derrotas na primeira partida e semana perdida. No meu ponto de vista deveria focar em Challengers e ATP250 neste início de carreira.

Evandro
Evandro
27 dias atrás
Responder para  Marcelo

Foi muito boa a experiência! Nada a lamentar. Está certamente em melhores condições de vencer pelo menos um jogo no quali de WB do que se tivesse ficado jogando challengers no saibro (e eventualmentevrncendo partidas)

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE