PLACAR

Federer tranquilo em seu 1º ano fora de Wimbledon

Foto: Karwai Tang/AELTC

Nova York (EUA) – Em sua primeira temporada completa como aposentado, o suíço Roger Federer garante que não sente falta do tempo de jogador, num ciclo que se encerrou na temporada passada. Em entrevista ao The Wall Street Journal, o ex-número 1 do mundo e dono de 20 títulos de Grand Slam falou que se sentiu como um mero espectador este ano quando esteve em Wimbledon.

“Meu pai veio até mim e disse: ‘Você não gostaria de estar na quadra agora, em vez de ficar sentado aqui?’ Minha resposta foi clara: ‘Pelo amor de Deus, não. Estou muito feliz sentado aqui.’ Eu me sentia contente e em paz sentado, curtindo o show, sem querer jogar”, afirmou Federer, numa sensação bem diferente da que teve no mesmo All England Club em 2022.

“Um ano antes, quando eu estava na quadra na celebração do aniversário da Quadra Central, senti que talvez não quisesse estar lá. Era importante para mim estar lá e fazer parte disso, mas um sentimento de dor e insatisfação despertou em mim. Este ano, eu estava muito feliz por estar de volta”, acrescentou o suíço.

Federer também contou que mesmo fora do circuito, segue com os cuidados com o físico, principalmente por causa dos problemas que teve e que o levaram a se aposentar do tênis. “Depois de deixar as crianças na escola, vou direto para a academia. Tive muitos problemas nos joelhos, por isso estou em constante recuperação”, falou o ex-número 1 do mundo.

“Não tenho conseguido fazer muito cardio: faço principalmente musculação, treinamento de força, músculos abdominais e quadríceps. Tenho um fisioterapeuta, com quem trabalho há sete anos, e nos vemos quatro vezes por semana. Com ele, recebo tratamentos, massagens, alongamentos e alguns exercícios”, acrescentou o suíço da Basileia.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Wimbledon seleciona os melhores backhands de 1 mão

Os históricos duelos entre Serena e Venus em Wimbledon

PUBLICIDADE