PLACAR

Ex-número 1, Muguruza anuncia o fim da carreira aos 30 anos

Garbiñe Muguruza conquistou dois Grand Slam e o WTA Finals, além de liderar o ranking por quatro semanas (Foto: AELTC/Florian Eisele)

Madri (Espanha) – A ex-número 1 do mundo Garbiñe Muguruza anunciou neste sábado o fim de sua carreira profissional aos 30 anos. Muguruza foi campeã de Roland Garros em 2016 e de Wimbledon no ano seguinte, além de ter sido finalista do Australian Open de 2020 e vencedora do WTA Finals em 2021.

A espanhola já estava fora do circuito há mais de um ano, quando fez uma pausa na carreira para cuidar da saúde mental. O anúncio da despedida foi feito em Madri, durante os preparativos para a cerimônia do prêmio Laureus, o chamado Oscar do Esporte, que acontecerá na segunda-feira.

“Chegou o momento de me despedir e abrir um novo capítulo na minha vida. Foi uma longa carreira e quando um atleta se retira, começa uma nova era. Antes achava ‘retirar-me’ era uma palavra muito forte. Com 30 anos ainda me sinto muito jovem. Mas queria ser breve e aí está”, disse Muguruza durante a coletiva de imprensa na capital espanhola.

Espanhola derrotou Venus e Serena em finais de Grand Slam

Nascida em Caracas, na Venezuela, em 1993, Muguruza começou a jogar tênis aos três anos e se mudou com a família aos seis para a Espanha, terra natal de seu pai, e começou a treinar na academia de Sergi Bruguera. Ela disputou suas primeiras competições profissionais ainda em 2008 e teve sua estreia na WTA em 2012, quando recebeu convite para Miami e ganhou de duas cabeças de chave, Vera Zvonareva e Flavia Pennetta, antes de ser superada nas oitavas pela campeã Agnieszka Radwanska.

Reconhecida por ser uma tenista de estilo agressivo e de muita potência nos golpes, Muguruza conquistou dez títulos no circuito da WTA e disputou outras sete finais, uma delas em Florianópolis no ano de 2014. Suas duas conquistas em Grand Slam foram vencendo as irmãs Williams nas finais. Ela superou Serena, então número 1 do mundo, em Roland Garros, e bateu Venus em Wimbledon.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

“Se, há 25 anos, quando comecei a bater minhas primeiras bolas de tênis, alguém tivesse me dito que eu me tornaria uma jogadora profissional, que realizaria meu sonho de vencer Roland Garros e Wimbledon e que me tornaria a número 1 do mundo, além de vencer o WTA Finals, eu teria pensado que essa pessoa era louca”, comentou Muguruza, durante o anúncio de sua despedida.

“O tênis me deu muito nesta primeira parte da minha vida. Foi uma jornada fantástica em que vivi situações únicas. Viajei por todo o mundo e conheci muitas culturas diferentes. Sou tremendamente grata a todas as pessoas que me ajudaram e acompanharam ao longo deste capítulo, porque sem eles eu não teria conseguido chegar até aqui”, acrescenta a espanhola, que venceu 449 jogos na carreira e acumulou mais de US$ 24 milhões em prêmios. Ela liderou o ranking por quatro semanas em 2017.

Conquista do Finals no México em 2021 marcou sua última temporada de destaque

A última temporada de destaque de Muguruza no circuito foi em 2021. Começou o ano como número 15 do mundo e terminou na terceira posição, com o título do WTA Finals em Guadalajara. Após a vitória sobre Anett Kontaveit na final, ela falou a TenisBrasil que aquele era o melhor ano de sua carreira proifissional, mais até do que os das conquistas de Grand Slam. Entre os motivos, além da consistência e do nível de tênis apresentado, era a situação de maior equilíbrio emocional.

“Acho que foi uma temporada muito boa no geral. Ganhei três títulos. Deve ser o ano em que ganhei mais títulos e também fiz mais finais. Eu me senti muito estável comigo mesma”, disse Muguruza em novembro de 2021. “Claro, tive alguns altos e baixos. Mas no geral, acho que esse foi o melhor ano para mim. Posso não ter vencido um Grand Slam, mas sinto profundamente que fui mais feliz e mais estável, menos dramática. Estou muito feliz por isso. Sempre achei que tinha um bom nível tênis, só tinha que mostrar isso. Essa é apenas mais uma prova de que eu acho que estou no melhor momento da minha carreira. A experiência que tenho agora, o tênis, e a maneira como eu lido comigo mesma são muito melhores do que antes”.

Sempre muito solícita com a imprensa e com os fãs, Muguruza viveu uma semana de enorme felicidade quando venceu o Finals no México, estabelecendo uma conexão com a torcida que foi fundamental para a conquista do título. E nunca escondeu que tinha uma motivação extra para jogar em lugares em lugares onde era muito querida pelo público. “Significa muito para mim ganhar um torneio tão grande na América Latina, aqui no México. Eu acho que é simplesmente perfeito”.

Em maio passado, Muguruza anunciou o noivado com Arthur Blanco e estão de casamento marcado para o próximo verão europeu. Nos planos após a carreira profissional também está trabalhar como embaixadora do Laureus e promover o tênis para as novas gerações. “Cresci e amadureci de uma forma muito diferente do que pode ser considerado normal. Agora estou pronta para iniciar um novo capítulo, mas certamente estarei ligado de alguma forma ao tênis e ao esporte”.

Uma das pessoas mais importantes na carreira de Muguruza foi Conchita Martínez. A ex-número 2 do mundo foi treinadora da espanhola nas conquistas de Wimbledon e do Finals. “Foi uma honra trabalhar com Garbiñe e um privilégio vê-la crescer como uma atleta que inspira tantas pessoas em nosso país e ao redor do mundo. Estou muito emocionada com o tempo que passamos juntos na Billie Jean King Cup, sua ascensão ao primeiro lugar do ranking e suas conquistas em Wimbledon e no Finals em Guadalajara. Construímos um vínculo especial e espero que o futuro dela traga apenas coisas boas”.

10 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Gilvan
Gilvan
1 mês atrás

Que pena. Gostava bastante do jogo da Muguruza. A maior prova de que dinheiro, fama, sucesso na carreira valem de pouco quando a cabeça não está bem. Aliás, muitas vezes o caminho para chegar a isso tudo é o que te destrói por dentro.
Que ela se encontre e possa seguir com a sua vida fora do circuito.

João Sawao ando
João Sawao ando
1 mês atrás

Ela que eu saiba casou teve um filho. Mas não gostava dela .achava ela muito deslumbrada

Andre Borges
Andre Borges
1 mês atrás
Responder para  João Sawao ando

Vc a conhecia pessoalmente?

João Sawao ando
João Sawao ando
1 mês atrás
Responder para  Andre Borges

Não. Só pelas atitudes dela dentro da quadra .assim como e a alizet cornet

Elvis Marcelo
Elvis Marcelo
1 mês atrás
Responder para  João Sawao ando

Não casou e nem teve filhos…

Andre Borges
Andre Borges
1 mês atrás

Bizarro o tanto de desordem mental que o esporte de alto rendimento causa. Bem que meus professores sempre falaram que esporte de alto rendimento não tem nada a ver com saúde

Paulo Mala
Paulo Mala
1 mês atrás
Responder para  Andre Borges

Entendimento errado. Não é o esporte que causa isso.
Esta todo mundo ferrado e depressivo em qualquer carreira. Na verdade o esporte ajuda a não cair em depressão, se pensar bem são pouquíssimos atletas que tem problema nesse sentido.
As pessoas normais é que estão mais depressivas.
Mas a diferença é que uma pessoa normal tem que pagar seus boletos e não pode dar uma pausa na carreira como um esportista.

Helton
Helton
1 mês atrás
Responder para  Andre Borges

O esporte de alto rendimento não é saudável.

Cezar
Cezar
1 mês atrás

Uma gracinha a Muguruza

Fábio
Fábio
1 mês atrás

Grande atleta! Parabéns por tudo Muguruza! !!

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Wild enfrenta inspirado Monfils e a torcida francesa em Paris

A homenagem de Roland Garros ao adeus de Alizé Cornet

PUBLICIDADE