PLACAR

Dolehide também derruba Kenin e chega à final no México

Caroline Dolehide (Foto: Guadalajara Open AKRON)

Guadalajara (México) – A grande semana de Caroline Dolehide no WTA 1000 de Guadalajara teve mais um capítulo nesta sexta-feira. Depois de salvar quatro match-points contra a italiana Martina Trevisan nas quartas, a norte-americana de 25 anos e apenas 111ª do ranking também superou a compatriota Sofia Kenin para chegar à final do torneio. Ela marcou as parciais de 7/5 e 6/3 em 1h25 de partida.

Dolehide já havia vencido outras duas norte-americanas, Peyton Stearns e Sachia Vickery, além de ter vencido a top 20 russa Ekaterina Alexandrova nas oitavas. Pela campanha, ela já se aproxima do 40º lugar do ranking. E se for campeã, ficará entre as 30 melhores do mundo. Ela disputa apenas o quarto WTA 1000 da carreira e nunca havia passado da terceira rodada. Além disso, chega à sua primeira final no circuito.

Esta é apenas a segunda vez que uma tenista de fora do top 100 chega a uma final de WTA 1000. A primeira foi a russa Svetlana Kuznetsova, no ano de 2019 em Cincinnati. Embora Kuznetsova seja uma ex-número 2 do mundo e vencedora de dois Grand Slam, ela ocupava apenas o 153º lugar do ranking naquela semana.

“É uma sensação incrível! Estou muito animada para amanhã e orgulhosa de mim mesma. Sofia não é uma jogadora fácil de superar. Depois de estar com uma quebra atrás em ambos os sets, entendi o que estava funcionando no jogo e persisti. Tive que tentar ajustar algumas coisas e, no final das contas, simplesmente joguei de forma inteligente”, avaliou Dolehide, na entrevista em quadra.

A adversária de Dolehide na final deste sábado virá da partida entre a francesa Caroline Garcia, 11ª do ranking, e a grega Maria Sakkari, nona colocada. Em ambos os casos, o confronto seria inédito no circuito. Garcia tem três títulos de WTA 1000, enquanto Sakkari tem dois vices.

Por sua vez, Sofia Kenin deixou escapar a chance de alcançar sua segunda final seguida no circuito. Ex-número 4 do mundo e campeã do Australian Open em 2020, a jogadora de 24 anos vinha de um vice-campeonato em San Diego na semana passada. Ela aparece atualmente na 53ª posição e se reaproxima do top 30 com mais uma boa campanha.

Nos dois sets da semifinal, Dolehide esteve com quebra abaixo e precisou virar. Kenin saiu vencendo por 3/1, mas permitiu o empate no oitavo game. Na reta final do set, Dolehide fez dois games impecáveis no saque, sem perder pontos, e voltou a quebrar para fechar a parcial. Ela fez 10 a 7 nos winners e cometeu 10 erros contra 15 da rival.

Logo na abertura da segunda parcial, Kenin contou com uma dupla falta da adversária e novamente conseguiu uma quebra acima. A ex-top 5 chegou a liderar até o 3/1, mas perdeu o saque em um game muito longo. Dolehide virou para 4/3, e logo depois contou com uma sequência de erros da adversária, em pontos muito curtos, para voltar a quebrar e fazer 5/3. Sacando para o jogo, Dolehide escapou de cinco break-points antes de finalmente fechar o jogo em sua primeira chance. Ela fez 16 a 13 nos winners e cometeu 18 erros contra 32 da rival.

Semifinal de duplas ainda nesta sexta-feira
Dolehide também é semifinalista de duplas, ao lado da norte-americana Asia Muhammad. Elas enfrentam a australiana Storm Hunter e a belga Elise Mertens, principais cabeças de chave. Quem vencer enfrenta a canadense Gabriela Dabrowski e a neozelandesa Erin Routliffe, campeãs do US Open, que derrotaram a italiana Jasmine Paolini e a egípcia Mayar Sherif por 6/2 e 7/6 (7-4).

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE