PLACAR

Dolehide salva 4 match points e faz semi em WTA 1000

Caroline Dolehide (Foto: Guadalajara Open AKRON)

Guadalajara (México) – A norte-americana Caroline Dolehide conseguiu uma incrível virada para chegar à semifinal do WTA 1000 de Guadalajara. A jogadora de 25 anos e 111ª do ranking salvou quatro match-points e derrotou a italiana Martina Trevisan por 3/6, 7/6 (11-9) e 6/3 em 2h45 de partida. Além de conseguir seu melhor resultado em um torneio deste nível, ela também terá o melhor ranking da carreira, entrando no top 60.

Dolehide terá um duelo norte-americano contra Sofia Kenin, ex-número 4 do mundo e atual 53ª colocada, na semifinal desta sexta-feira às 19h (de Brasília). Ainda em busca de sua primeira final de simples na WTA, ela lidera o histórico de confrontos com Kenin por 2 a 1. Durante a semana em Guadalajara, ela também havia vencido outras duas norte-americanas Peyton Stearns e Sachia Vickery, além de eliminar a top 20 Ekaterina Alexandrova nas oitavas.

Por sua vez, Trevisan vinha de uma grande virada nas oitavas. Canhota de 29 anos e atual 54ª do ranking, a italiana foi responsável por eliminar a tunisiana Ons Jabeur, principal cabeça de chave do torneio e número 7 do mundo, em partida com 3h06 de duração. Trevisan atingiu em maio o melhor ranking da carreira, quando ocupou o 18º lugar.

Trevisan teve o domínio da partida no primeiro set ao conquistar três quebras e enfrentar apenas um break-point, contando também com cinco duplas faltas da norte-americana. A italiana quebrou também no início da segunda parcial parar abrir 4/1 e parecia encaminhar uma vitória tranquila, mas Dolehide conseguiu devolver a quebra e tinha maior inciativa dos pontos no fim do segundo set, comandando os ralis com o forehand e mostrando muita habilidade junto à rede.

A norte-americana fez um rápido game de saque quando perdia por 5/4. Na sequência, escapou de um 0-40 no 6/5. Ela salvou dois match-points jogando de forma agressiva e o terceiro com um erro da italiana. A norte-americana ainda salvou mais um match-point no tiebreak antes de fechar a parcial e empatar a partida.

Dolehide aproveitou o bom momento e saiu com quebra acima no terceiro set. Ela não teve o saque ameaçado, mas precisou jogar seis match-points até consolidar a virada. A norte-americana fez 33 a 22 nos winners e cometeu 36 erros contra 37 da rival.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE