PLACAR

Djokovic se diz orgulhoso por superar dificuldades

Foto: Corinne Dubreuil/ATP Tour

Paris (França) – O heptacampeonato em Paris e o 40º troféu de Masters 1000 deixaram o sérvio Novak Djokovic orgulhoso de seu espírito competitivo, já que o número 1 do mundo precisou superar dificuldades inesperadas ao longo da semana, com uma indisposição causada por vírus.

“É incrível conseguir ganhar (este torneio) depois de tantas circunstâncias desafiadores que encarei ao longo da semana”, afirmou o multicampeão. “Basicamente, sai das cordas de perder três jogos em sequência, entre quinta e sábado. Estava muito perto da derrota, mas de alguma forma dei um jeito de encontrar uma marcha extra quando eu precisei”.

“Hoje acho que estávamos bem parecidos no começo, mas pude perceber que ele começou a ficar sem fôlego um pouco mais. Eu também tinha meus problemas, mas consegui bater uma bola a mais sobre a rede. Acho que a partida foi muito mais apertada do que o placar indica, mas foi muito legal para mim. Estou muito orgulhoso deste mês, considerando tudo o que aconteceu na semana”.

Questionado sobre como fez para superar os problemas estomacais, Djokovic explicou que não sabe exatamente qual foi o remédio que o médico oficial lhe deu, mas que a hidratação contínua teve papel essencial. “Não pude comer muito nestes dias, apenas uma vez por dia. Mas quando você vai para a quadra, esquece de tudo”.

O sérvio admite que não jogou seu melhor tênis em Paris. “Todo mundo espera você atuar bem, mas nem sempre é possível. Não joguei no mais alto nível, há de se aceitar as circunstâncias e lutar para sobreviver dia após dia”.

A temporada ainda reserva emoções. Ele sabe que só precisa de uma vitória no Finals para fechar o ano como número 1 e por isso a meta imediata é se recuperar completamente. “Vou chegar muito confiante em Turim, já que não perco desde Wimbledon”. E reafirmou seu compromisso em disputar a fase final da Copa Davis, em Málaga.

Ao ver a enorme frustração de Dimitrov, que caiu em lágrimas após mais uma chance de ganhar seu primeiro título desde o Finals de 2017, Djokovic foi ao banco do búlgaro para consolá-lo. “Já estive muitas vezes nesse situação antes, perdendo finais. Claro que fui abençoado por ganhar bem mais do que perdi e espero que Dimitrov continue jogando nesse nível alto. Ele jogou no seu melhor nível nesta semana e espero que consiga ganhar novamente”.

Durante a premiação, Dimitrov refletiu de forma mais positiva. “Gosaria de destacar o quão gratificante foi esta grande semana. Vivi uma montanha russa os últimos três meses e chegar nesta final significa muito mais do que vocês possam imaginar”, afirmou ele, que retorna ao 14º lugar do ranking e tem boa chance de encerrar a temporada novamente no top 15.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE