PLACAR

Djokovic reage e vai em busca do 40º Masters

Foto: Corinne Dubreuil/ATP Tour

Paris (França) – Depois de perder um apertado primeiro set, o sérvio Novak Djokovic confirmou seu favoritismo sobre o russo Andrey Rublev, marcou as parciais de 5/7, 7/6 (7-3) e 7/5, e está pela nona vez na final do Masters 1000 de Paris, onde buscará neste domingo o 40º título dessa categoria em sua incrível carreira.

Esta foi a nona vez que Djokovic chegou na semi do Palácio de Bercy, rodada em que jamais perdeu. Ele tem seis títulos no torneio, o mais recente deles em 2021. No ano passado, ficou com o vice diante do dinamarquês Holger Rune, a quem eliminou na sexta-feira.

Em busca também do 97º troféu da carreira, ele enfrentará neste domingo com amplo favoritismo o búlgaro Grigor Dimitrov, quatro anos mais novo, que mais cedo passou a duras penas pelo grego Stefanos Tsitsipas. O sérvio só perdeu um de 11 duelos diante de Dimitrov e isso há exatos 10 anos.

Djokovic também não perde há 17 partidas e completa agora 30 vitórias em seus últimos 31 jogos desde o início de Roland Garros. A única queda nesse trajeto foi na final de Wimbledon diante de Carlos Alcaraz.

Não menos importante, as vitórias até aqui em Paris deixam Djokovic com liderança cada vez mais folgada no ranking. Ele sobe para 9.545 pontos contra os 8.455 de Alcaraz, que não passou da estreia em Bercy. Isso obrigará o espanhol a ganhar o Finals de forma invicta para ainda tentar impedir que Djokovic feche como número 1 pela oitava temporada.

Mais uma sobre Rublev

Para marcar sua quinta vitória em seis cruzamentos com Rublev, Djokovic teve de superar um primeiro set de muitas e pesadas trocas de bola. O russo perdeu logo o primeiro game com o serviço, mas reagiu imediatamente no game seguinte e logo ganhou mais confiança.

Depois de superar um momento mais apertado no sétimo game, Rublev aproveitou uma passagem ruim do adversário no saque e abriu 0-40, mas Djokovic ainda reagiu. Os sacadores voltaram a dominar até que Rublev fechou o set na primeira chance de quebra que teve.

O segundo set reservou mais emoções. Djokovic se salvou no segundo game e depois desperdiçou chances tanto no quinto como no sétimo games, enquanto Rublev mostrava firmeza mental. Sem quebras, a definição foi para o tiebreak, no qual o líder do ranking se impôs.

Um atendimento médico nas costas para Djokovic na virada dos sets assustou seus fãs, mas ele se manteve firme em quadra na parcial final, pressionou Rublev em duas oportunidades, a primeira no quarto game, quando perdeu dois break-points, e a outra no 12º, quando anotou a quebra que definiu o jogo.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE