PLACAR

Djokovic: “Feliz por não ter precisado ir até o 5º set”

Simon Bruty/AELTC

Londres (Inglaterra) – Depois de vencer um jogo duro pela segunda rodada de Wimbledon, Novak Djokovic saiu de quadra aliviado por não ter precisado disputar um quinto set contra o britânico Jacob Fearnley nesta quinta-feira em Londres. O sérvio diz que não estava se sentindo confortável a partir do terceiro set, especialmente por conta da recente cirurgia no joelho direito, e destacou o momento de reação do rival de 22 anos na partida.

“Foi uma grande partida do Jacob, ele jogou muito bem”, disse Djokovic após a vitória por 6/3, 6/4, 5/7 e 7/5 contra Fearnley nesta quinta-feira. “Eu ainda não o havia visto jogar até dois dias atrás. E sempre tem um elemento surpresa de quem não tem nada a perder. Sabia que jogar com ele em Wimbledon seria difícil. A maioria dos jogadores britânicos cresce jogando em quadras de grama e em superfícies mais rápidas”.

“Acho que ele sacou muito bem. Foi muito difícil quebrar o saque dele. Não me senti muito confortável no terceiro e quarto sets. E às vezes, você tem dias difíceis, em que talvez não esteja se sentindo bem”, avaliou o sérvio. “Hoje Jacob jogou em alto nível e exigiu muito de mim para que eu conseguisse essa vitória”.

“Provavelmente tive um pouco de sorte de não ter sofrido uma quebra no quarto set. Eu tive a chance de vencer a partida em três sets, mas esse jogo potencialmente merecia chegar ao quinto, pela forma como ele reagiu, mas estou muito feliz por isso não ter acontecido”, complementou o heptacampeão do torneio e finalista da edição passada.

Sérvio espera melhorar ao longo do torneio

Djokovic também falou sobre o estágio de recuperação do joelho. “Os músculos ao redor do meu joelho estão ficando mais doloridos do que o normal porque estão compensando e protegendo o joelho, o que é normal. Eles também não estão me dando a velocidade dinâmica e a potência que preciso. Estou um pouco mais atrasado nas bolas que normalmente não me atraso”.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

“Espero que à medida que o torneio avança, eu me sinta melhor”, complementou o veterano de 37 anos, que enfrenta no sábado o australiano Alexei Popyrin, 47º do ranking. O sérvio venceu os dois duelos anteriores, o mais recente no Australian Open deste ano.

10 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Paulo Almeida
Paulo Almeida
11 dias atrás

É, ele deu a explicação técnica do que está acontecendo na região do joelho. Obviamente está longe dos 100% e vai ser muito difícil vencer um adversário mais qualificado, mas vamos dia a dia, jogo a jogo pra ver o que acontece.

Renato
Renato
10 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

É um risco apressar a recuperação dessa forma. Pode chegar no momento que mais precisa e a coisa desandar. Melhor seria uma recuperação plena, com o tempo hábil. Mas é uma escolha que se faz. Espero que dê certo.

Lee
Lee
11 dias atrás

Da para lembrar o Austrália open do ano passado em que ele teve uma lesão e teve dificuldade até a terceira rodada chegou até perder um set mas depois ele se recuperou e não perdeu mais nem um set até o fim do torneio. Sei que na idade que ele está de um ano para o outro já tem uma grande decaída mas é Wimbledon e não é qualquer um que vai conseguir vencer ele tão fácil.

Renato
Renato
10 dias atrás
Responder para  Lee

Em qualquer idade, o ideal é dar o tempo necessário, fazer a preparação correta e voltar cem por cento. Ele assumiu o risco, espero que dê certo.

Lee
Lee
10 dias atrás
Responder para  Renato

Ele assumiu o risco para tentar o 8 título de Wimbledon que talvez seja a última chance de sua carreira. Ele é um jogador experiente e competitivo e esse título vale muito para ele e ele vai fazer o que estiver ao seu alcance para tentar ganhar.

Joselito
Joselito
11 dias atrás

Estava com a mobilidade comprometida. Resta saber se é ele que está tentando se preservar ou se é o corpo que o está limitando.
Que se recupere e ganhe ou perca jogando sem dores.

Renato
Renato
10 dias atrás
Responder para  Joselito

O problema do menisco é relativamente simples. O que é complicado é não fazer corretamente o protocolo da recuperação, dar o tempo necessário. Poderia voltar cem por cento em 60 dias, e aí sim jogar tudo que sabe sem essa preocupação. Agora é torcer pelo joelho.

Rodrigo
Rodrigo
11 dias atrás

Aff…. não vai passar para a 2° semana…. ( o cara eh FODA !!!!!! )…. MAS…. 3×1 contra um jogador MUITO… MUITO…. MUITO abaixo…. não está no nível ( hoje )…. do SINNER, ALCARAZ, ZVERVEV… entre outros…. operação no joelho a pouco tempo . . Entrou para “tentar” vencer o 8° titulo em W…. ( colocando as Olímpiadas em risco…. por querer se igualar ao RF com 8 títulos…. – são escolhas …. e ELE PODE …. pois eh o maior em SLAMS…. ( escolhas erradas na minha simples opinião )

Gusmão
Gusmão
11 dias atrás

Parabéns ao Djokovik.
Soube controlar o jovem Britânico, que sacou muito bem no tempo da partida, e cresceu com o apoio da torcida.

Força Djokovik.

João Silva
João Silva
10 dias atrás

Como ele sabe que não esta 100% penso que a estratégia dele é de tentar contar com uma zebra do outro lado da chave, vejam que hoje quase que o Alcaraz roda, numa dessa ele pega um azarão na final. Na idade dele, ele sabe também que não terá mais que uns 2 Wimbledons em alto nível pela frente.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE