PLACAR

Dimitrov quer usar 400ª vitória como inspiração

Foto: Chengdu Open

Zhuhai (China) – Já com seus 32 anos de idade, Grigor Dimitrov alcançou neste sábado um marco na carreira, chegou a 400 vitórias ao bater o peruano Juan Pablo Varillas em sua estreia no ATP 250 de Zhuhai. Apenas 94 jogadores conseguiram alcançar tal marca na história da ATP e o búlgaro espera aproveitar o feito para se inspirar e buscar novas conquistas antes de encerrar a carreira como profissional.

“Sou uma pessoa que adora o tênis e vive para ele. Acho que essa marca é uma conquista por si só. Para mim, nunca estabeleci uma meta de 500 ou 300 vitórias ou o que quer que seja. Você nunca sabe como vai ser, mas estou no circuito há 14 anos, então é bom quando tem um reconhecimento. Já fui para quadra e ganhei 400 vezes, acho muito legal”, afirmou o búlgaro para o site da ATP.

Dimitrov garante que nunca se concentrou em estatísticas, mas que alcançar tal número é muito representativo para ele. “Uma das minhas estatísticas favoritas e tenho-a quase como um troféu. Não ganhei torneios ultimamente, mas sinto que ganhei algo muito especial e pronto. Minha carreira está longe de terminar. Então, quem sabe, talvez eu chegue a 500?”

Sem vencer um título desde o ATP Finals de 2016, Dimitrov conquistou sua primeira vitória aos 17 anos, em 2009, quando derrotou o então 23 do mundo Tomas Berdych em três sets em Rotterdam. Ele guarda memórias claras desse triunfo. “Lembro-me de tudo daquele dia, daquela partida”, contou o búlgaro, que na segunda rodada levou o espanhol Rafael Nadal para três sets.

“Cerca de dois dias antes daquela partida, eu deveria jogar o qualificatório em Rotterdam, e na noite anterior ao início eles decidiram me dar um convite. Aí eu vi o sorteio, a estreia era contra Tomas e o Rafa estava lá, logo em seguida. E ele tinha acabado de vencer o Australian Open”, relembra o atual número 20 do mundo, que já foi terceiro colocado no ranking da ATP

Ainda firme no circuito 14 anos depois, Dimitrov espera usar a quebra da barreira das 400 vitórias como estímulo para o futuro. “Isso não apenas me motiva a jogar bem, mas também a me desenvolver mais.. Nada dura para sempre, principalmente no nosso esporte, então tenho que aproveitar o máximo possível. A única coisa que posso tentar fazer é dar 100% de mim”, comentou o búlgaro.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE