PLACAR

Depois de Luthi, Becker também deixa a equipe de Rune

Foto: Corinne Dubreuil/ATP Tour

Copenhague (Dinamarca) – Apenas cerca de uma semana após confirmar o fim da parceria com o treinador suíço Severin Luthi, o dinamarquês Holger também teve o trabalho encerrado com seu outro técnico, o alemão Boris Becker. A informação foi anunciada nesta terça-feira pelo próprio tricampeão de Wimbledon nas redes sociais, afirmando não ter a disponibilidade necessária para acompanhar o pupilo.

“Gostaria de informar que deixarei o cargo de treinador principal do Holger Rune com efeito imediato. Começamos esta parceria com o objetivo inicial de chegar ao ATP Finals do ano passado, mas seguindo em frente percebi que para que isso fosse bem sucedido, eu precisaria estar disponível para Holger muito mais do que posso. Devido a atividades profissionais e privadas, não posso dar o que ele precisa agora. Desejo-lhe apenas o melhor e sempre serei seu fã número 1. Eu realmente apreciei essa jornada juntos”, escreveu Becker.

De forma semelhante, a mãe do atual número 7 do mundo, Aneke, explicou na semana passada que a saída Luthi se deu por que o treinador só poderia acompanhar Rune por poucas semanas do calendário e isso atrapalharia a continuidade do trabalho. Sem Severin Luthi e Boris Becker, o jovem dinamarquês contará com o compatriota Kenneth Carlsen, que já fazia parte de sua equipe e era cotado para assumir o papel de técnico principal do tenista.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Por outro lado, Rune foi anunciado nesta terça-feira como mais novo membro da agência IMG Tennis, que gerencia a carreira e contratos comerciais de atletas. Com isso, o jogador de 20 anos integrará um time que já conta com nomes do calibre de Carlos Alcaraz, Daniil Medvedev, Casper Ruud, Aryna Sabalenka e Iga Swiatek.

8 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
andre
andre
26 dias atrás

nunca vi contratar alguém e depois anunciado que vc conversa e ve que o cara nao vai poder estar sempre disponivel pra viajar e que nao serve. não é a primeira coisa que você vai ver antes de contratar? que bizarro

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
26 dias atrás
Responder para  andre

Palavras prontas para os que as querem ouvir. Já ouvimos isso, não?

Daniel
Daniel
26 dias atrás
Responder para  andre

Isso aí é papo furado… esse moleque é uma mala, deve ser Rune de aturar… Aí os caras entram pela grana e depois metem o pé…

Refaelov
Refaelov
26 dias atrás
Responder para  Daniel

Tbm acho q deva ter uma questão comportamental importante do Rune nessa equação, lembrando q ele msm tão jovem já tem um extenso histórico de trabalhos curtíssimos com diversos treinadores..

Helton
Helton
25 dias atrás
Responder para  Refaelov

Estou vendo o capítulo dele na Netflix, quando ele demitiu o ex-treinador da Serena.

Gustavooeh
Gustavooeh
26 dias atrás

Acho que a questão é familiar..parece com o Stefano e o pai…o Rune e mãe não abrem espaço pelo que parece. Zverev e o pai também são bem fechados. Família não é profissão… mas me parece que ha bastante dependencia entre eles…
Lembro do Ferrero com o Zverev, que durou até o momento do espanhol confrontar algunas escolhas dele…
Enfim, nunca serão … Alcaraz e Sinner já passaram faz tempo…

Osvaldo
Osvaldo
26 dias atrás

outro que está em queda livre, assim como Djoko…

Neto
Neto
26 dias atrás

Raducanu mandou lembranças.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE