PLACAR

De Groot marca novos recordes com 13 Slam seguidos e 21 no total

Diede De Groot (Foto: Frank Molter/ITF)

Melbourne (Austrália) – Atleta dominante no tênis em cadeira de rodas nos últimos anos, a holandesa Diede de Groot estabeleceu duas marcas históricas em sua vitoriosa carreira profissional. Ela conquistou neste sábado seu 21º Grand Slam na carreira e o 13º seguido, ao superar a japonesa Yui Kamiji na final do Australian Open por 7/5 e 6/4. Foi o sexto título da holandesa em Melbourne e o 4º consecutivo.

Com 21 troféus de Slam em simples, De Groot iguala o recorde da também holandesa Esther Vergeer. Já quando se fala em conquistas consecutivas, a jogadora de 27 anos é agora uma recordista absoluta. Ela venceu todos os Grand Slam que disputou desde 2021, superando os 12 títulos seguidos do japonês Shingo Kunieda entre 2007 e 2011 e os 11 consecutivos de Esther Vergeer entre 2005 e 2010.

Além das seis conquistas na Austrália, De Groot também tem seis títulos no US Open, cinco em Wimbledon e quatro em Roland Garros. É sempre importante destacar que apenas em 2017 é que os quatro torneios do Grand Slam passaram a ter chaves de simples para o tênis em cadeira de rodas. Antes disso, Wimbledon contava apenas com o torneio de duplas e o US Open não era jogado em anos de Jogos Paralímpicos.

“É um título muito especial porque as últimas semanas foram difíceis, tive uma pequena lesão, um resfriado e salvei um match-point no torneio de preparação. Então nem tudo estava indo bem”, disse De Groot após a partida. “Tive que trabalhar muito nesta semana e fico muito feliz em ainda prevalecer nos momentos-chave em que estive nesta partida. Isso fez a diferença”.

A invencibilidade da holandesa no circuito chegou a incríveis 134 jogos. Ela não perde desde 2021 para a própria Kamiji. Aliás, a rivalidade entre as duas finalistas em Melbourne teve seu 59º capítulo neste sábado. De Groot tem ampla vantagem, 44 a 15, com direito a 26 vitórias seguidas sobre a japonesa. Ano passado, ela derrotou Kamiji em três finais de Grand Slam.

Mesmo com tantos recordes, a holandesa segue disposta a evoluir. “Acho que todo mundo que assistiu ao jogo hoje viu que eu ainda estava com dificuldades no meu saque, então ainda posso melhorar e fazer muito mais do que já estou fazendo agora. Então, encontrar esses pequenos detalhes é um processo muito divertido”.

“Além disso, acho que o que me motiva é que os Grand Slams estão melhorando as condições para nós ano após ano. Então é divertido retribuir (sorrindo). Então, estou muito feliz por estar aqui e depois jogar para muitas pessoas na Kia Arena este ano. Como jogadora, você quer se sair bem”, explicou a holandesa, destacando as melhorias feitas para os atletas do tênis em cadeira de rodas.

De Groot reconhece que o histórico de conquista também gera uma carga extra de pressão: “É claro que sou humana e isso é algo que surge na minha cabeça durante a partida ou na noite anterior. São coisas que ficam na minha cabeça, mas acho muito importante deixar isso de lado e focar no meu jogo, que talvez hoje não tenha sido perfeito, mas mesmo assim consegui avançar”.

Líder do ranking desde 2018, De Groot conquistou seu 84º título de simples. Ela também acumula 69 troféus de duplas, incluindo 18 de Grand Slams. Na última sexta-feira, a holandesa conquistou seu 5º título de duplas no Australian Open, ao lado de Jiske Griffioen ao derrotar Kamiji e a sul-africana Kgothatso Montjane na final por 6/3 e 7/6 (7-2).

Vice-campeã em Melbourne, Kamiji segue com oito títulos de Grand Slam. A japonesa de 29 anos tem duas conquistas na Austrália, em 2017 e 2020.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE