PLACAR

Dabrowski: “Um peso tirado dos nossos ombros”

Foto: Matt McNulty/Getty Images for ITF

Sevilha (Espanha) – Campeã da Billie Jean King Cup pela primeira vez, a equipe canadense comemorou bastante a conquista inédita após uma semana quase perfeita, com apenas uma partida juntando a fase de grupos e a fase final da competição. As atletas responsáveis pelo feito falaram em um misto de felicidade com alívio por finalmente terem alcançado a taça.

“Essa vitória significa muito, é um momento incrível. Todo mundo colocou sangue, suor e lágrimas ao longo de todos esses anos. Por um lado, parece um alívio, mas da forma mais positiva possível, é como se um peso tivesse sido tirado dos nossos ombros”, afirmou a duplista Gabriela Dabrowski, que sequer precisou entrar em quadra na final, já que o confronto foi definido com duas vitórias em simples.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

“Somos um time de alto nível há muito tempo, mas colocar isso em prática foi a parte difícil, nos últimos anos sempre perdemos para o time campeão. Foi uma semana incrível e estou super feliz por tê-la passado com essas mulheres. Em relação à minha função, antes de chegar eu não sabia o que iria jogar, vim aqui para dar o máximo, tentando jogar bem com atitude positiva, apenas curtir”, acrescentou.

Principal nome da equipe, Leylah Fernandez, vice-campeã do US Open em 2021, também destacou o trabalho duro. “É a primeira vez que o Canadá vence a Billie Jean King Cup, podemos finalmente dizer que somos campeãs mundiais e que merecemos com razão. Trabalhamos muito nos últimos anos, a cada temporada continuamos melhorando, mostrando nosso potencial”, disse a canadense.

“Aos poucos, mas com segurança, fui encontrando meu jogo, depois do US Open me senti novamente inspirada e motivada para fazer melhor, para alcançar níveis mais elevados de meu jogo. Graças a tudo o que passei cresci como jogadora, isso vai me dar confiança na pré-temporada e, espero, ao longo de 2024”, complementou Fernandez, querendo aproveitar o embalo na próxima temporada.

A surpreendente Marina Stakusic, 258 do mundo em simples e 449 nas duplas, responsável por abrir a decisão com vitória, revelou que chegou para as finais sem saber se iria jogar. “Antes de chegar eu não sabia o que iria jogar, mas vim para dar o máximo, tentando jogar bem com atitude positiva, apenas curtir. Então descobri que iria disputar as partidas individuais”.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE