PLACAR

Bia supera duelo de 3h e terá Krejcikova nas quartas

Foto: Jimmie48/WTA

San Diego (EUA) – Depois de ter vencido em três sets sua partida de estreia no WTA 500 de San Diego, Beatriz Haddad Maia venceu mais um jogo longo. Ela ficou em quadra por 3h05 contra a ucraniana Marta Kostyuk, 45ª do ranking. Bia precisou mostrar poder de reação para virar a primeira parcial, deixou escapar a chance de fechar em sets diretos, mas recuperou o domínio da partida no terceiro set até fechar o jogo com parciais de 7/5, 6/7 (3-7) e 6/2.

Número 1 do Brasil e 20ª do mundo, Bia já está recuperando duas posições no ranking com a campanha até as quartas em San Diego, que rende 100 pontos no ranking. O torneio na Califórnia dá 470 pontos à campeã, o que poderia levar a paulistana de volta ao 16º lugar.

Bia enfrenta nas quartas de final a tcheca Barbora Krejcikova, número 13 do ranking, que venceu a ucraniana Anhelina Kalinina por 6/3 e 6/2. Krejcikova levou a melhor nos dois duelos anteriores, o primeiro ainda em 2016 e o segundo no ano passado, em Talín, em quadra dura e coberta na Estônia. O reencontro acontece às 21h30 (de Brasília) desta quinta-feira.

“Foi um jogo que exigiu muito do meu emocional. Tive altos e baixos e não saquei tão bem, mas como eu já disse, mesmo quando você não se sente confortável e sente a pressão, você precisa encontrar um jeito de ganhar. Eu tentei lutar até o fim e me manter forte mentalmente”, disse Bia, na entrevista em quadra. “Acho que eu tenho o recorde de jogos em três sets, minha família e meu time vão ter um ataque cardíaco! (risos) Sinto que às vezes eu preciso melhorar minha concentração. Não é fácil jogar bem o tempo todo. Mas sou uma pessoa forte e que trabalha muito”.

Bia conseguiu virar o primeiro set 
O início de partida foi melhor para Kostyuk, que começou a partida confirmando seus games de serviço de forma mais tranquila, enquanto Bia passou por momentos de maior instabilidade em seu saque. Por duas vezes, a ucraniana esteve com uma quebra acima e chegou a liderar por 5/3, depois de ter aplicado uma excelente passada.

Sacando para fechar, Kostyuk teve três set-points. Bia se salvou nos dois primeiros e ainda contou com uma dupla falta no último. A brasileira começou a pegar mais o tempo de bola para as devoluções e exigia da rival forçar mais o saque. Com isso, a ucraniana voltou a cometer uma dupla falta e teve o serviço quebrado. Deu tempo ainda para uma nova quebra no 5/5. Na reta final do set, Bia confirmou seus serviços rapidamente. A combinação entre saque e primeira bola funcionava muito bem, inclusive no set-point a favor e ela terminou a parcial vencendo quatro games seguidos.

Brasileira sacou duas vezes para o jogo na segunda parcial
O bom desempenho de Bia nos games de serviço continuou no início do segundo set e ela vinha confirmando sem correr maiores riscos. Ela perdeu duas chances de quebra no 1/1 e no 3/3, mas seguiu pressionando o saque da ucraniana até aproveitar uma oportunidade no 4/4, contando com mais erros da rival, além de fazer uma boa subida à rede para concretizar a quebra. Sacando para o jogo primeira vez, Bia chegou a salvar dois break-points, mas não evitou uma quebra, depois de cometer um erro com o forehand. Apesar da oportunidade perdida, ela retomou a liderança no game seguinte e teve mais uma chance. Mas outra vez Kostyuk buscou o empate. A ucraniana ganhou confiança e dominou o tiebreak, que terminou com uma dupla falta da brasileira.

Domínio no set decisivo com três quebras
Bia começou o terceiro set escapando de três break-points. Logo na sequência, quebrou o serviço de Kostyuk e ainda confirmou um game de forma mais segura para já largar com 3/0 no placar. A canhota paulista foi mantendo a vantagem e abriu 4/1. A ucraniana baixou a intensidade e já não sustentava mais ralis, cometendo cada vez mais erros. Bia voltou a quebrar e fez 5/1 no set decisivo. Sacando para o jogo pela terceira vez, ela teve 40-0, mas Kostyuk salvou os match-points, devolveu uma das quebras e ainda pediu atendimento médico de três minutos. Na volta, Bia voltou a quebrar e finalmente definiu a vitória.

A partida teve 13 quebras de serviço, 8 a 5 para Bia, e 27 break-points disputados. Kostyuk liderou as estatísticas de aces por 5 a 3 e de winners por 30 a 22, mas também cometeu mais erros não-forçados, 43 a 33. E cada jogadora fez 8 duplas faltas.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE