PLACAR

Beach: juvenil nº 1 do mundo acaba com invencibilidade de Baran e Cappelletti

Felipe Loch, de rosa, e Andreolini. Foto: Maurício Nunes/ Fotografia do Esporte)

Petrolina (PE) – Foram definidas, na noite desta sexta-feira, as semifinais do BT 400 do EMS Open de Beach Tennis, inédito torneio em Pernambuco, jogado em Petrolina, no River Shopping. A competição é uma das maiores do mundo com cerca de mil atletas de dez países. No profissional são 470 pontos para cada dupla campeã do evento que distribui US$ 35 mil (R$ 175 mil) em premiação.

A estrela da noite foi a dupla do juvenil número 1 do mundo, o gaúcho Felipe Loch, de 17 anos, 49º do mundo no profissional, com o italiano Luca Andreolini, de 20 anos. Eles derrubaram, na quadra central lotada, a parceria do catarinense André Baran e do italiano Michele Cappelletti, parceria segunda favorita que vinha de 12 vitórias seguidas, com dois títulos consecutivos em Riberão Preto (SP) e Marechal Deodoro. Eles marcaram 6/2, 3/6 e 10-5 e levaram o público ao delírio.

“Muita felicidade, estamos muito gratos com essa situação, fruto do nosso trabalho. Primeiro torneio juntos, estamos tentando construir uma dupla também para o próximo torneio, agradecemos o apoio da torcida. É a nova geração chegando, eu com 17, Luca com 20”, comemorou Loch. “Eles são a segunda melhor dupla do mundo, o jogo foi 100% mental. Entramos muito firmes no primeiro set, baixamos no segundo. No terceiro, abrimos uma boa vantagem, eu estava chamando a torcida.”

Agora os jovens tentarão destronar outra dupla favorita, a do espanhol Antomi Ramos, bicampeão mundial e atual 5º do mundo, e de Hugo Russo, 10º colocado, que passou por Gabriel Santos e Gustavo Russo por 6/3 e 6/2: “É a terceira melhor dupla do mundo. Dupla muito forte, mas com certeza vamos entrar sem pressão”, completou Felipe.

Hugo destacou o fato de jogar contra seu irmão Gustavo nas quartas de final:  “Quando ganha é uma delícia, problema é se perde (risos). É difícil porque é família, mas é profissionalismo, vou sempre dar meu melhor por ser meu adversário, é a segunda vez que me encontro com eles nas quartas. Estou feliz pela vitória e por ele que fez uma boa campanha”, disse.

A outra semifinal será entre a dupla campeã do mundo de Mattia Spoto, da Itália, e Nicolas Gianotti, da França, que passaram por 6/0 e 6/4 contra Thales Santos/Luca Cramarossa (BRA/ITA) e a dupla venezuelana de Ramon Guedez/Carlos Vigon que marcou 6/2 e 6/3 sobre os brasileiros Allan Oliveira/Leonardo Branco.

O Brasil está na briga por títulos também entre as mulheres.

A paranaense Vitória Marchezini, 5ª do mundo, 18 anos, e a paulista Sophia Chow, 6ª, superaram nas quartas de final um difícil compromisso diante da espanhola Ariadna Graell e a italiana Elena Francesconi por 7/5, 4/6 e 10-7. Elas irão enfrentar a dupla campeã da semana passada, em Ribeirão Preto (SP), as italianas Flaminia Daina e Nicole Nobile, cabeças de chave 2.

“Começamos com dificuldades nos sets, achando alguns caminhos. Teve momentos de altos e baixos”, disse Chow. “Foi um jogo muito duro. Buscamos o primeiro set e no super tie-break estávamos com tanta vontade e foi um alívio depois de perdemos cedo nos últimos dois torneios”, completou Marchezini.

A surpresa no feminino foi a eliminação da dupla campeã mundial e número 1 do mundo, da paranaense Rafaella Miiller e da venezuelana Patrícia Diaz diante das italianas Sofia Cimatti e Greta Giusti pelo placar de 6/4 e 7/5. “Foi um jogaço, entramos na quadra muito focadas então conseguimos fazer o que combinamos. Chegou o resultado que a gente precisava. Estamos conseguindo encontrar o caminho certo”, disse Cimatti. Elas terão confronto italiano diante das bicampeãs mundiais de 2021 e 2022, Giulia Gasparri e Ninny Valentini.

As semifinais começam a partir das 15h de forma simultânea na quadra central e na quadra 1 no feminino, e depois no masculino. A ESPN 3 transmite os jogos da quadra central sendo duas semis e as finais marcadas para 19h30 no feminino e logo na sequência no masculino. Os jogos também serão mostrados no canal PlayBT no Youtube.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Agassi recorda trajetória de drama e sucesso em Roland Garros

Os melhores lances de Iga Swiatek rumo ao tri no Foro Italico

PUBLICIDADE