PLACAR

Atuação de Nadal aumenta perspectiva de Slam em 2024

É claro que ainda há um longo caminho pela frente, árduo e complicado, mas a boa atuação de Rafael Nadal em sua volta às competições, após quase 12 meses, aumenta as perspectivas de uma pergunta que ficou no ar nas últimas semanas. A mídia e ex-jogadores internacionais comentaram sobre a seguinte questão:  será que o espanhol irá conquistar um Grand Slam em 2024?

Boa parte dos ex-jogadores que participaram desse vídeo compartilhado pela ATP colocaram sérias dúvidas na possibilidade de Nadal voltar a vencer um Slam. Confesso que também fiquei com a mesma impressão. Mas, ao mesmo tempo, lembrei de uma frase amplamente enfatizada pelo fãs do espanhol: “nunca duvide de Rafal Nadal”.

Pelas suas declarações e emoções demonstradas depois do jogo, em especial na entrevista coletiva, em Brisbane, o próprio Rafael Nadal também esteve surpreso com o nível demonstrado diante do austríaco Dominic Thiem. Guardei algumas frases que considerei sintomáticas. “Este não foi apenas um outro jogo. E estou muito feliz de ter tido a chance de sentir o clima de uma competição.”

Para um retorno nesse nível não existem milagres, mas sim muito trabalho e dedicação. E este aspecto foi sempre muito destacado pelo espanhol desde que anunciou sua volta nas quadras australianas. Mas sua confiança falou alto, a ponto de até colocar em dúvida de que 2024 possa ser o ano de sua aposentadoria. Há uma certeza no esporte de alto nível, ainda mais nos individuais: as vitórias são os combustíveis necessários para seguir jogando.

Enfim, apesar desse bom nível apresentado em Brisbane, nem tudo deve ocorrer as mil maravilhas. Os tropeços são normais. Além disso, é preciso aguardar como o corpo do Miura irá se comportar com o clima de uma competição, onde, sem dúvida, a tensão é maior, a cobrança evidente e as emoções afloram.

 

9 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Leonardo
Leonardo
1 mês atrás

Ainda é muit prematuro pensar nisso. Nivel de jogo ele tem, força mental também. Mas vai aguentar 7 jogosm em 5 sets que podem ser entre 3 e 5h dando o máximo? Isso ainda temos que ver. Se mantiver saudavel, até dá para sonhar com mais um RG, mas acho dificil qualquer outro GS pelo nivel de esforço e velocidade necessaria.

Maurício
Maurício
1 mês atrás
Responder para  Leonardo

Se tratando de um ícone do esporte ,não só Rolang Rarros como qualquer outro Grand slam até porque o que Rafa fez em Roland Rarros é surreal , qualquer torneio ele é sempre um dos favoritos ao título, simples assim!

Leo
Leo
1 mês atrás

Não adianta ter expectativas utopicas.
Como eu disse antes, ele terá possibilidade de fazer alguns jogos bons, mas não uma sequência grande como num slam.
O Nadal já se aposentou, é apenas sua turnê de despedida.

Antônio Neto Brasil
Antônio Neto Brasil
1 mês atrás

O Nadal em forma e sem lesão é um forte candidato pra vencer qualquer torneio.

Bruno
Bruno
1 mês atrás

Pra quase um ano sem jogar foi uma ótima apresentação, muito bom ver ele voltar assim, ansioso pra ver os próximos jogos dele, pra cimaaaaaaaaa

Jorge Luiz
Jorge Luiz
1 mês atrás

Ninguém torcera mais por isso do que você né Chiquinho, afinal és um torcedor incontestável do Nadal

Jorge Luiz
Jorge Luiz
1 mês atrás
Responder para  Chiquinho Leite Moreira

Não duvido de sua credibilidade, mais que vc é Nadal é sim e muito, assim como o Meligeni é anti Djokovic, o Eusébio era Federer, normal

Humberto
Humberto
1 mês atrás

HAHHAHHAHAAH Pode apagar o post agora. Ele ta no aviao pra Espanha jah.

Jornalista especializado em tênis, com larga participação em diversos órgãos de divulgação, como TV Globo, SporTV, Grupo Bandeirantes de Comunicações e o jornal Estado de S. Paulo. Revela sua experiência com histórias de bastidores dos principais torneios mundiais. Já cobriu mais de 70 Grand Slams: 30 em Roland Garros; 21, no US Open; 18 em Wimbledon; e 5 no Australian Open.
Jornalista especializado em tênis, com larga participação em diversos órgãos de divulgação, como TV Globo, SporTV, Grupo Bandeirantes de Comunicações e o jornal Estado de S. Paulo. Revela sua experiência com histórias de bastidores dos principais torneios mundiais. Já cobriu mais de 70 Grand Slams: 30 em Roland Garros; 21, no US Open; 18 em Wimbledon; e 5 no Australian Open.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Quando os tenistas se machucam, mas ainda vencem

ATP seleciona as 10 melhores jogadas do ATP FInals