PLACAR

Após estreia dura, Sinner já pensa no duelo com Berrettini

Foto: Tony O'Brien/AELTC

Londres (Inglaterra) – Depois de vencer um jogo duro na estreia de Wimbledon, Jannik Sinner falou sobre o desempenho na partida desta segunda-feira contra o alemão Yannick Hanfmann e já pensa no compromisso da próxima rodada. O número 1 do mundo terá um duelo italiano contra Matteo Berrettini, finalista do torneio em 2021.

“Será mais uma partida difícil. Ele já disputou uma final aqui e sabe muito bem jogar nesta superfície, então é um grande desafio para mim. Mas estou muito ansioso para enfrentá-lo”, disse Sinner, que venceu o único duelo anterior contra Berrettini, ex-top 10 e atual 59º do ranking, no Masters 1000 de Toronto do ano passado.

O jovem jogador de 21 anos falou sobre o momento do tênis italiano e a quantidade de bons jogadores que o país tem revelado nas últimas temporadas. “Temos muitos torneios na Itália, desde o juvenil e també, nos futures e challengers. Temos torneios grandes da ATP lá, excelentes técnicos e boas estruturas de treinamento. É uma combinação de tudo isso e também do clima, que nos permite jogar durante o ano inteiro ao ar livre. Cada um tem seu próprio caminho, mas é bom ver cada vez mais italianos na chave”.

“Quando eu era mais jovem, treinava em um clube pequeno e depois fui para um clube maior. Eu não treinava na Federação, mas ia para lá entre duas ou três vezes por ano, para que eles pudessem ver os jogadores mais jovens. É assim até hoje”, explicou o tenista, sobre seus processos de formação.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

A respeito da vitória por 6/3, 6/4, 3/6 e 6/3 sobre Hanfmann, o líder do ranking destacou o poder de reação, especialmente no último set. “Foi uma partida dura, ele estava jogando e sacando muito bem. Cometi alguns erros, mas tentei subir o meu nível no final da partida. Quando você sofre uma quebra de saque na grama, é difícil se recuperar, mas a forma como reagi no quarto set foi muito positiva e terminar a partida tão bem”.

“Jogos da primeira fase nunca são fáceis, por isso estou feliz por ter passado e espero poder melhorar na próxima fase. Tenho um dia de folga e posso tentar entrar no ritmo e começar bem a partida”, avaliou o italiano, semifinalista do ano passado.

Primeiro Grand Slam como número 1 do mundo

Novo número 1 do mundo, Sinner chegou ao topo do ranking depois de Roland Garros e venceu, na grama de Halle, seu primeiro torneio desde que assumiu a liderança. “É um enorme privilégio e uma honra estar na posição que estou. E não há lugar melhor do que aqui para jogar meu primeiro Grand Slam como número 1 do mundo”.

O italiano também falou sobre as condições de quadra, mais escorregadia nas primeiras rodadas. “Fisicamente estou bem. Nas primeiras partidas, quando a grama é mais nova, as quadras são sempre mais escorregadias. E no começo do jogo, embora não estivesse chovendo, a quadra estava um pouco mais úmida. Ficou um pouco mais seca depois que fecharam o teto. Senti que estava mais fácil para me mover”.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE