PLACAR

Alexandrova elimina Rybakina e desafia Ostapenko na semi de Adelaide

Ekaterina Alexandrova (Foto: Jimmie48/WTA)

Adelaide (Austrália) – Depois de seis vitórias seguidas e do título em Brisbane na abertura da temporada, a número 3 do mundo Elena Rybakina sofreu sua primeira derrota em 2024. A cazaque foi eliminada nas quartas de final do WTA 500 de Adelaide pela russa Ekaterina Alexandrova, 21ª do ranking, com um duplo 6/3 em 1h30 de partida.

Aos 29 anos, Alexandrova marcou sua 12ª vitória contra top 10, mas só a quarta contra uma top 5. A russa também amplia a vantagem contra Rybakina no histórico de confrontos, agora com três vitórias e apenas uma derrota diante da cazaque. Elas não se enfrentavam desde 2020.

No encontro entre duas jogadoras de estilo agressivo e com golpes mais retos dos dois lados, Alexandrova foi superior desde os primeiros games da partida e conseguiu duas quebras logo cedo para sair vencendo por 4/0. Rybakina chegou a diminuir a diferença para 4/3, mas voltou a ter o serviço quebrado no fim do primeiro set.

A dinâmica da segunda parcial foi parecida. Novamente a russa abriu 4/0 e chegou a liderar o placar por 5/1. Confiante pelo bom início de temporada que fez, Rybakina passou a jogar mais solta, partindo para a definição dos pontos, e devolveu uma das quebras. Alexandrova ainda teve que reverter um 0-40 no último game da partida. Apesar dos nove aces de Rybakina no jogo, Alexandrova conseguiu quebrar cinco vezes o serviço da cazaque. Ela liderou nos winners por 28 a 22 e cometeu só 15 erros contra 25 da cazaque.

A adversária de Alexandrova na semifinal desta sexta-feira será a letã Jelena Ostapenko, que mais cedo derrotou a ucraniana Marta Kostyuk por 7/5 e 6/3. A russa lidera o histórico de confrontos por 5 a 3, mas Ostapenko venceu no ano passado em San Diego.

Pegula avança com difícil virada

Já a norte-americana Jessica Pegula, número 5 do mundo, venceu um jogo duríssimo com 2h25 de duração contra a russa Anastasia Pavlyuchenkova, 59ª colocada, por 6/7 (1-7), 7/5 e 6/4. Atuando na quadra 1, que está mais rápida que o estádio principal, Pegula teve que lidar com o jogo agressivo da rival, que fez 45 a 25 nos winners. No entanto, Pavlyuchenkova também errou muito mais, 42 a 19. Ao todo, a partida teve oito quebras. A norte-americana agora enfrenta outra russa, Daria Kasatkina.

“Foi um jogo duro, ela estava jogando um tênis incrível, pegando cedo na bola e jogando com muita potência nos golpes. Eu nem sei como consegui ficar no jogo. Mas tentei não ficar tão frustrada depois do primeiro set e depois pude encontrar meu ritmo. As condições dessa quadra são um pouco diferentes em comparação com a quadra central”, disse Pegula, na entrevista em quadra.

“Acho que a partir do segundo set, eu estava sacando melhor nos momentos importantes, encontrando as posições certas. E também pude devolver melhor e colocar mais pressão nos games dela. Ela estava sacando muito bem no primeiro set, com uma porcentagem altíssima”.

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Ubiratan (Black)
1 mês atrás

Da Alexandrova eu não estava esperando. Apesar que das meninas que estão ali nesse nível tudo pode acontecer. As vezes vem surpresas até de jogadora menos conhecida.
Mas eu estava esperando que a Ostapenko que fosse dificultar bem mais pra Ribakina agora na semi. Impressionante a dificuldade que Ribakina teve, o quanto Alexandrova conseguiu atacar e dominar o jogo.
E Pegula também não teve tranquilidade com a Pavlyuchenkova, mas passou.
E ainda não terminou mas a fotografia mais esperada pra final não vai acontecer, muito menos a campeã.
E não demora muito, já já saberemos os nomes que ficarão na história do AO2024.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE