PLACAR

Alcaraz joga para o gasto e vai reencontrar Evans

Foto: Garett Ellwood/USTA

Nova York (EUA) – Apesar de ter feito alguns ótimos pontos e vencido em sets diretos, o espanhol Carlos Alcaraz enfrentou dificuldades em games de serviço em sua segunda partida no US Open. O atual campeão superou o sul-africano Lloyd Harris, por 6/3, 6/1 e 7/6 (7-4).

Agora com 55 vitórias em 61 possíveis em sua ótima temporada, em que já soma seis títulos, o espanhol enfrentará agora o britânico Daniel Evans, que começou mal antes de bater o holandês Botic van de Zandschulp, por 1/6, 6/1, 6/3 e 6/3. O espanhol ganhou sem problemas os dois confrontos diante de Evans, um em piso duro coberto e outro no saibro.

Aos 20 anos e três meses, Alcaraz é o mais jovem cabeça 1 na história do torneio e entra como principal inscrito pelo terceiro Grand Slam consecutivo, tendo ido à semifinal de Roland Garros e conquistado Wimbledon. Esta é a oitava vez seguida que atinge a terceira rodada de um Slam.

Na estreia, havia jogado apenas 13 games, uma vez que o alemão Daniel Koepfer sofreu contusão de tornozelo no começo da partida, e assim estendeu para 11 seu recorde perfeito em primeiras rodadas de Slam. O US Open é um torneio especial. Em 2021, disputou inéditas quartas de Slam e, no ano passado, levantou o troféu.

Problemas com o saque
Harris é um tenista muito bem adaptado ao piso sintético e fez quartas no US Open de dois anos atrás, mas uma lesão no punho o tirou do circuito por seis meses em 2022.

Na partida desta noite, fez um bom começo e por pouco não obteve quebra logo no primeiro game de serviço do número 1. Mas Alcaraz soube conter sua agressividade e pouco a pouco ficou mais firme. Lloyd novamente teve chance no game inicial do segundo set antes de ser totalmente dominado.

Os problemas com o saque se acenturam no terceiro set. Depois de evitar dois break-points no quarto game, Alcaraz foi quebrado no sexto, mas Lloyd não aproveitou a chance. Antes de empatar por 4/4, Alcaraz cometeu mais erros e outra vez deu três chances que o sul-africano não converteu. Por fim, a definição foi ao tiebreak, onde o espanhol foi muito ofensivo o tempo todo.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE