PLACAR

Zverev sente que pode enfim conquistar um Grand Slam

Foto: Corinne Dubreuil/ATP Tour

Sydney (Austrália) – Aos 26 anos de idade, Alexander Zverev continua em busca do primeiro título de Grand Slam da carreira. Vice-campeão do US Open em 2020, três vezes semifinalista em Roland Garros e uma no Australian Open, o alemão acredita que é novamente um forte candidato nos quatro principais torneios do calendário após um ano de altos e baixos em que retornou de séria lesão no tornozelo.

“Tenho a sensação de que posso lutar por objetivos importantes desde o início, algo que não aconteceu no ano passado. Sofri em 2022 e não me senti nada bem nos primeiros meses do ano. Cheguei ao Aberto da Austrália sabendo muito bem que não poderia aspirar a outra coisa senão vencer um ou dois jogos, no máximo, mas agora já tenho a mentalidade que quero”, disse na entrevista coletiva em Sydney às vésperas da estreia na United Cup.

“Estou no 7º lugar do ranking, consegui vencer jogadores importantes e ganhar alguns títulos, então superei completamente aquela fase de insegurança que sempre existe depois de uma lesão grave. Sinto que sou mais uma vez um forte candidato a vencer um Grand Slam, por isso estou ansioso pelos eventos mais marcantes do calendário”, acrescentou.

Esta será a segunda participação de Sascha no torneio misto entre países. Em 2023, ele acabou derrotado nas duas partidas que disputou ainda na fase de grupos, caindo em sets diretos para o tcheco Jiri Lehecka e para o norte-americano Taylor Fritz.

De olho em outra competição em que jogará pelo seu país neste ano, o alemão se diz especialmente animado para defender o ouro olímpico em Paris. “Para mim é o evento mais importante do ano, mal posso esperar para conviver com outros atletas da Vila e sentir novamente o espírito olímpico”, comentou o campeão dos Jogos de Tóquio em 2021.

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Leo
Leo
1 mês atrás

Bom. Ele não ganhou porque nao quis. Aquela final de 2020 com Thiem foi das piores que ja vi. Os 2 com braço curto, passando a bola e a responsabilidade para o outro lado. O numero 500 do mundo se tivesse jogando solto ganharia de qualquer um nesse dia. O que falta a Zverev não é nivel de jogo. É mental, falta decisāo nos momentos importantes, especialmente se tiver com a pressão de ganhar.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE