PLACAR

Zheng vai às quartas e é favorita em seu lado da chave

Foto: Tennis Australia

Melbourne (Austrália) – No jogo que encerrou as oitavas de final do Australian Open, Qinwen Zheng fez valer a condição de número 15 do mundo e garantiu seu lugar nas quartas depois de vencer a francesa Oceane Dodin, 95ª do ranking, por 6/0 e 6/3 em apenas 57 minutos de partida. A chinesa é a única top 20 restante em seu lado da chave e aparece como principal candidata a uma vaga na final, algo que apenas Na Li, campeã em 2014 e vice nos anos de 2011 e 2013, conseguiu em seu país.

Aos 21 anos, Zheng chega pela primeira vez às quartas de final do Australian Open. Nas duas aparições anteriores, havia perdido na segunda rodada. A chinesa também iguala o melhor resultado da carreira em um Grand Slam, quartas de final do US Open do ano passado, e fica muito perto de entrar no top 10 do ranking mundial pela primeira vez.

Zheng vinha de um jogo duríssimo na terceira rodada em Melbourne, em que precisou de 2h40 para superar a compatriota Yafan Wang apenas no tiebreak do terceiro set. Também em três sets, a chinesa passou pela jovem norte-americana de 19 anos Ashlyn Krueger na estreia, além de ter vencido a britânica Katie Boulter com mais tranquilidade na segunda fase.

Com seu tênis agressivo e de golpes mais retos, Zheng conseguia comandar os pontos com seu forehand e colocar pressão o tempo todo sobre Dodin, especialmente nas devoluções de saque. A chinesa conseguiu três quebras no primeiro set e fez 11 a 2 nos winners, com apenas quatro erros não-forçados.

Já na segunda parcial, a francesa comemorou muito a confirmação de seu primeiro game de serviço e depois ficou menos tensa em quadra, mas seguiu ameaçando muito pouco a número 15 do mundo, que conseguiu duas novas quebras para chegar à vitória. Zheng terminou o jogo com 19 winners contra apenas 5 da rival.

Kalinskaya surpreende Paolini, que vinha em boa fase
A adversária de Zheng nas quartas de final será a russa Anna Kalinskaya, 75ª do ranking, que derrotou a italiana Jasmine Paolini, 31ª colocada, por 6/4 e 6/2. Kalinskaya, de 25 anos, nunca havia passado da segunda rodada de um Grand Slam, assim como a própria Paolini, que vinha de boas campanhas do fim do ano passado em Pequim, Zhengzhou e Monastir para atingir o melhor ranking da carreira. A chinesa perdeu o único duelo anterior contra Kalinskaya, na altitude de Guadalajara em 2022.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

Do mesmo lado da chave, estão a ucraniana vinda do quali Dayana Yastremska, 93ª do ranking, e a jovem tcheca de 19 anos Linda Noskova, 50ª colocada e algoz da número 1 do mundo Iga Swiatek. As duas também chegaram pela primeira vez às quartas de um Grand Slam e farão um confronto inédito no circuito. Já do outro lado estão três campeãs de Slam, Aryna Sabalenka, Coco Gauff e Barbora Krejcikova, além da jovem ucraniana de 21 anos Marta Kostyuk.

3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Leo realista
Leo realista
1 mês atrás

Apesar da Zheng ter perdido aquele jogo do finals b pra Bia por cansaço, ela vem crescendo bem mais regular que a nossa compatriota. Já deve a passar no ranking após o torneio e tem um grande potencial para se estabelecer dentro do top8

Michael Sousa
Michael Sousa
1 mês atrás

Tbm vou na sua opinião Léo, hj a chinesa mostra mais recursos que a Bia. Vai na mesma ascendente da Na Li, logo estará no top10, diferentemente de uma Krejcikova!

Ubiratan (Black)
1 mês atrás

A Zheng tem aproveitado as oportunidades. Desde a segunda rodada que seu caminho para a SF está livre das principais cabeças de chave. E agora, se chegar lá, nem a Vika, a última, não terá mais.
Na UC, torneio anterior que participou, venceu de top em 3 sets, no seu grupo, a Vondrousova, que desde as campanhas de WB e US Open não temos visto fazer mais nada.
Então, não tem perdido as oportunidades de passar pelo caminho que tem dificultado menos.
Final de AO e top 7 muito possíveis.
Já está de parabéns de qualquer forma chegando nas quartas.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE