PLACAR

Zanellato e Gimenez duelam por final na Bolívia

Igor Gimenez (Foto: João Pires/Fotojump)

Santa Cruz (Bolívia) – Mais uma rodada de boas atuações e de vitórias de Nicolas Zanellato e Igor Gimenez no torneio de US$ 15 mil que acontece em Santa Cruz, sobre o saibro boliviano.

Segundo cabeça de chave do torneio e 472º do mundo aos 21 anos, Zanellato venceu mais um argentino, desta vez Tomas Farjat, argentino, 613º do ranking, com as parciais de 6/3 e 6/4.

Ele agora vai enfrentar diretamente Igor Gimenez, de 23 anos e 839º do ranking, que obteve outra vitória inesperada. Depois de tirar o cabeça 3, ele eliminou o peruano Arklon Huertas, 584º colocado e cabeça 6, com virada 4/6, 6/4 e 6/3.

Os dois brasileiros se enfrentaram três vezes no circuito profissional, incluindo qualificatórios e torneios M15, e Zanellato levou a melhor em todas.

Nas duplas, o catarinense Bruno Fernandez e seu parceiro argentino Lorenzo Rodriguez estão na semifinal e jogam ainda nesta sexta-feira contra o também argentino Tomas Farjat e o peruano Arklon Huertas, principais cabeças de chave.

7 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Gusmão
Gusmão
2 meses atrás

Parabéns aos Brasileiros.
Tem que jogar torneios ITF e aproveitar para pontuação. Tem que fazer 19 resultados.
Os outros jogadores Brasileiros acima dos 300 perdem muito tempo jogando quali de Challenger, contra jogadores bem mais ranqueados que eles. Deveriam jogar uma serie de ITF em Países sem tradição.

Fernando S P
Fernando S P
2 meses atrás
Responder para  Gusmão

Com qual propósito? Retardar o progresso como tenistas em troca de pontos? Além disso, considerando que sugeres jogar em países sem tradição, os pontos obtidos seriam “irreais”.

Gusmão
Gusmão
2 meses atrás
Responder para  Gusmão

Fernando, se não fizer assim o processo é sofrível por elea. Jogar um quali e voltar sem pontos e só gastos. Aí alguns fazem 4 qualis e não conseguem nem 20 pontos, porque jogam com jogadores em níveis maiores, e viajando de País a outro.
Jogando ITF M25 da para fazer 3 a 4 torneios e com condições de 25 pontos com mais facilidade.

É importante para ter 19 resultados com pontuação e entrar nos Challenger ja na Chave, aí sim uma Vitória da 7 ponto. Fazendo assim tem pontuação para ter condições de permanecer com mesmo ranking.

Gusmão
Gusmão
2 meses atrás
Responder para  Gusmão

Um exemplo: Eduardo Ribeiro vai perder 25 pontos, não tem pontos para repor, vai cair 49 posições no ranking.
Se jogasse um ITF M25 buscaria 25 pontos, ou 2 ITF M15 buscaria 30 pontos, jogando como cabeça de chave.
Agora vai ter que remar tudo de novo para recuperar esses pontos.
Faltam aos Jogadores, humildade, e fazer uma programação adequada para melhor aproveitamento.

Guilherme do ES Ribeiro
Guilherme do ES Ribeiro
2 meses atrás

Belíssimo torneio do Gimenez. Zanellato confirmando favoritismo. Zabellato é favorito, mas vou torcer pro Gimenez conseguir sua 1° final de ITF na carreira

Paulo A.
Paulo A.
2 meses atrás

Que surpresa boa! Está parecendo que o Igor pode aprontar uma surpresa em cima do compatriota. A ver…

Leandro Heck
Leandro Heck
2 meses atrás

Final de temporada positivo para o tênis nacional. Seria indução do fator Bia?

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE