PLACAR

Yastremska acredita que ainda ganhará um Grand Slam

Foto: WTA Tour

Melbourne (Austrália) – Derrotada na segunda semifinal do dia pela chinesa Qinwen Zheng, a ucraniana Dayana Yastremska sai de cabeça erguida após obter a melhor campanha em Grand Slam da carreira. Antes deste Australian Open, ela nunca havia superado as oitavas de final de nenhum dos quatro maiores torneios do calendário, mas agora já consegue até sonhar com um título.

“Estou feliz com o resultado e com a forma com que me senti em quadra. É muito bom retornar ao top 30, porque durante anos não consegui nem voltar ao top 50 ou 60. É um bônus e agora posso finalmente disputar a chave principal dos Slam um pouco mais revigorada. Não vou olhar muito para o futuro, mas sinto que um dia poderei vencer um Grand Slam”, destacou a tenista que ganhará 64 posições no próximo ranking, saltando do 93º para o 29º posto, bem próximo do seu recorde pessoal, que é o 21º, obtido em 2020.

A melhora na lista da WTA também significará uma temporada mais organizada para Yastremska, que agora poderá definir melhor o seu calendário. “O ranking vai desempenhar um papel muito importante, porque nos últimos quatro anos eu não sabia minha agenda, em qual torneio iria entrar, para onde ia. Eu tive que jogar semana após semana. Então agora eu sei onde posso jogar, quando posso descansar, e é mais confortável viver assim”, disse.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

Ainda segundo a ucraniana de 23 anos, a eliminação na semifinal em Melbourne não a incomoda e o mais importante foi ter jogado bem. “Estou feliz com os resultados. Não estou triste com a derrota, pois ainda acho que foi um grande torneio para mim. Normalmente tenho sete partidas para jogar em um Grand Slam, e joguei nove aqui, então estou muito orgulhosa de mim mesma”, disse em referência aos três jogos do qualificatório e os outros seis na chave principal.

Apesar do saldo positivo, ela lamentou o problema muscular que a atrapalhou no duelo desta quinta-feira. “Só saio triste por não ter tido físico e mental suficientes para a partida de hoje. Eu senti algo no músculo abdominal no aquecimento e depois de dois games no primeiro set senti uma dor bem forte após um forehand. Por isso pedi o tempo médico”, explicou.

Para Yastresmka a experiência de chegar às semifinais de um Grand Slam mudou bastante sua forma de ver o tênis, mas ela diz que prefere não se prender ao que viveu em Melbourne nas últimas semanas. “Meu objetivo não é manter o mesmo nível. Não quero ficar presa no passado e pensar na forma como joguei aqui, porque cada torneio é diferente. Vou me concentrar apenas em viver o presente. Só quero melhorar, e o mais importante é que quero manter esse sentimento de gostar de jogar. Nos últimos dois anos, eu não conseguia sentir essas emoções quando jogava um Grand Slam”, finalizou.

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Jan
Jan
1 mês atrás

Jogou muito e desfilou o seu talento no AO! Já virei fã dela!

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE