PLACAR

Wild conta com desistência e faz 2ª final seguida

Foto: AON Open Challenger

Gênova (Itália) – No primeiro duelo entre brasileiros e italianos nas semifinais deste sábado no challenger de Gênova, o paranaense Thiago Wild não precisou se esforçar tanto e ficou menos de uma hora em quadra, contando com a desistência do tenista da casa Andrea Vavassori quando vencia o primeiro set por 4/3, sem quebra de vantagem.

Em seguida, será a vez do cearense Thiago Monteiro desafiar o ídolo local Fabio Fognini para ver quem enfrentará Wild na decisão. Campeão semana passada em Como, o paranaense vai em busca do segundo título seguido. A grande sequência de vitórias vai garantir sua estreia no top 100, subindo provisoriamente para o 87º lugar com a vaga na final e podendo ser o 76º com o título.

Wild ficou apenas 47 minutos em quadra, mas o suficiente para se irritar com a barulhenta torcida a favor do italiano. Em clima de Copa Davis, o público apoiou Vavassori, que começou o jogo com quebra logo no primeiro game. Porém, o brasileiro mostrou porque vive em grande fase e logo em seguida devolveu o break.

Além de buscar a igualdade em seguida, o paranaense tratou de responder ainda melhor, saindo de 0/1 para fazer 3/1 e saque. Foi então a vez do tenista da casa reagir e devolver a quebra no quinto game, marcado por duplas faltas de Wild e discussão com a arbitragem, reclamando da manifestação do público em momentos que considerava errado.

O jogo acabou não estendendo muito mais do que isso. Vavassori confirmou para fazer 3/3, depois foi a vez de Wild marcar 4/3 com o saque e então veio a desistência do italiano de 28 anos e atual 163 do mundo, que garantiu o brasileiro em sua segunda final consecutiva. Ele perdeu os dois primeiros pontos do oitavo game e se retirou com 0-30 no palcar.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE