PLACAR

Tsistipas volta com Philippoussis para não estagnar

Foto: Reprodução/Twitter

Toronto (Canadá) – Em uma tentativa de alcançar um nível além do atual, o grego Stefanos Tsitsipas recontratou o australiano Mark Philippoussis como seu treinador, enquanto seu pai Apostolos fará uma pausa. A mudança é uma reviravolta na parceria do tenista com o treinador, já que haviam rompido no final de maio.

“Dei uma folga agora ao meu pai. ele não descansa desde que eu tenho 12 anos. Acho que para ele é muito saudável tirar um tempo das quadras e se sentir renovado novamente”, explicou Tsitsipas antes de sua estreia no Masters 1000 de Toronto, nesta semana. Ele abrirá campanha no torneio contra o francês Gael Monfils.

“Os pais podem ficar emocionados às vezes e eu entendo isso completamente. Não sou pai, mas posso imaginar como pode ser difícil às vezes ver seu filho dar tudo de si e passar por tanta coisa durante uma partida. Eu o amo e quero que ele faça parte dessa jornada que construímos juntos. Ele estará conosco seguindo nosso caminho e jornada”, acrescentou.

Tsitsipas trouxe Philippoussis para seu time pela primeira vez no ano passado, mas os dois romperam neste ano porque o grego disse que queria apenas uma voz como treinador. O australiano voltou para ajudar o atual número 4 do mundo a dar um passo além na carreira.

“É hora de continuar explorando coisas novas. Tenho a mente aberta e quero aprender o máximo que puder para maximizar minha carreira, porque às vezes me sinto estagnado. Mark também é pai. Ele não é meu pai, mas passou por muitos momentos em sua carreira pessoal que pode identificar e capturar melhor de certas maneiras. Ele é um ser humano incrível”, comentou Tsitsipas.

“Tenho grandes metas em termos de terminar o ano forte e quero cumprir essa minha promessa. Quero terminar o ano e tirar boas férias e dizer que dei o meu melhor nesses últimos meses para maximizar o tudo o que for possível e ter um grande impacto no circuito no final do ano”, finalizou o grego de 24 anos.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE