PLACAR

Stefani volta ao palco da lesão e celebra final feliz

Foto: Jimmie48/WTA

Nova York (EUA) – Dois anos depois de sofrer uma grave lesão no joelho e sair de cadeira de rodas do Louis Armstrong Stadium, Luísa Stefani retornou ao mesmo local e se classificou para sua segunda semifinal no US Open. Jogando agora ao lado da norte-americana Jennifer Brady, Stefani destacou o final feliz para um longo ciclo e ainda luta por um título inédito em sua carreira.

“É um grande sentimento. Dois anos atrás estava deixando essa mesma quadra numa cadeira de rodas. Agora sinto orgulho, com muita gente me dando suporte. É um momento emocional poder voltar a jogar aqui, perto da minha família e equipe”, disse Stefani após a vitória ao lado de Brady contra a polonesa Magda Linette e a norte-americana Bernarda Pera por 7/6 (7-1), 3/6 e 6/3.

“Não é todo dia que a gente chega a uma semifinal de Grand Slam, ainda mais com a Jennifer, em uma semana surreal dentro e fora da quadra. Temos um prazer e uma alegria estar jogando. Mesmo nos momentos tensos, quando cai um pouco a energia, a gente se ajuda. No fim do jogo das quartas, sentimos um pouco a tensão, mas a vitória estava na nossa mão e consegui sacar bem”, acrescentou a paulista de 26 anos, destacando o último game da partida.

“É super especial estar aqui. Eu amo o US Open. Aqui tenho mais momentos bons do que difíceis, por mais que tenha tido um pesado dois anos atrás. Estou fechando um ciclo nessa semana. Vamos aproveitar cada segundo, como já estamos fazendo”, complementou a número 1 do Brasil nas duplas e 14ª do mundo.

Existe a possibilidade de uma semifinal com duas brasileiras em quadra, caso Beatriz Haddad Maia e a bielorrussa Victoria Azarenka vençam nesta quarta-feira, ao meio-dia (de Brasília) o duelo contra as campeãs de 2020, a alemã Laura Siegemund e a russa Vera Zvonareva.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE