PLACAR

Stefani se despede na semi, mas voltará ao top 10

Foto: Brad Penner/USTA

Nova York (EUA) – De volta a uma semifinal de US Open depois de dois anos, Luísa Stefani parou mais uma vez na penúltima rodada do Grand Slam nova-iorquino nas duplas. Stefani e a norte-americana Jennifer Brady foram superadas pela russa Vera Zvonareva e a alemã Laura Siegemund, campeãs em 2020, que marcaram as parciais de 6/4 e 6/1.

Stefani tentava se tornar a primeira mulher brasileira em uma final de US Open desde 1968, quando Maria Esther Bueno conquistou seu quarto e o último título de duplas no torneio, além de ter vencido três vezes em simples. A boa notícia para a paulistana de 26 anos é a volta ao top 10 do ranking após o torneio, marcando sua recuperação da grave lesão no joelho sofrida em sua primeira semifinal de Slam.

Algozes de Stefani e Brady nesta sexta-feira, Siegemund e Zvonareva já haviam eliminado outra brasileira nas quartas, Beatriz Haddad Maia e a parceira bielorrussa Victoria Azarenka nas quartas. A alemã de 35 anos e a russa de 38 tentam o segundo Grand Slam juntas. Elas foram campeãs do US Open em 2020.

As adversárias de Siegemund e Zvonareva na final do próximo domingo serão a canadense Gabriela Dabrowski e a neozelandesa Erin Routliffe, que derrotaram as campeãs de Roland Garros, a taiwanesa Su-Wei Hsieh e a chinesa Xinyu Wang, por 6/1 e 7/6 (7-4). Hsieh tinha chance de chegar ao número 1 de duplas em caso de título. Com a derrota, Coco Gauff e Jessica Pegula chegarão ao topo do ranking.

O início de partida foi dominado por Siegemund e Zvonareva, que conseguiram duas quebras logo cedo e saíram vencendo por 4/0. Só então, Brady conseguiu confirmar um game de serviço. Na sequência, ele e Stefani conseguiram devolver uma das quebras, no saque da russa.

Na reta final do set, Brady sustentou alguns ralis de fundo com Zvonareva e vinha sendo mais eficiente nas devoluções, mas a russa sacava muito bem contra Stefani, enquanto a alemã era a jogadora mais decisiva em quadra, vencendo a maioria das disputas na rede.

Logo no início do segundo set, Siegemund e Zvonareva conseguiram quebrar o serviço da norte-americana mais uma vez e ficaram em situação muito confortável no placar. Elas ampliaram mais tarde a vantagem para 5/1. Luísa Stefani disputou seu último game de serviço, mas foi novamente quebrada, com grande atuação da alemã nas devoluções, lobs e fechando a rede.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE