PLACAR

Sinner e Arnaldi garantem bi para Itália na Davis

Foto: Getty Images for ITF

Málaga (Espanha) – Com um time muito jovem e liderado pelo número 4 do mundo, a Itália confirmou seu grande momento, ganhou logo os dois jogos de simples sobre a Austrália e voltou a conquistar a Copa Davis 47 anos depois.

Neste domingo, Matteo Arnaldi, de 22 anos e 44º do mundo, obteve excelente vitória sobre Alexei Popyrin, 40º colocado, numa batalha 2h29 e parciais de 7/5, 2/6 e 6/4. Arnaldi perdeu na primeira rodada contra a Holanda e foi substituído no sábado por Lorenzo Musetti, que também acabou derrotado.

Com placar favorável e amplo retrospecto positivo diante de Alex de Minaur, Jannik Sinner jogou novamente muito solto e superou com grande autoridade o número 1 australiano, por 6/3 e 6/0, liquidando o placar. Foi a nona vitória de Sinner em nove jogos de simples já feitos na Davis e a sexta sobre De Minaur, atual 12º do mundo.

Esta foi a oitava final italiana na Davis. As duas primeiras aconteceram em 1960 e 1961. Veio então o título de 1976 em cima do Chile e quatro vices, o mais recente em 1998. Portanto, a Itália é agora apenas o 11º país a possuir ao menos duas conquistas da Davis na centenária história da competição. Com 177 vitórias, supera a França e agora é o terceiro país no quesito, atrás de EUA (226) e Austrália (201).

A Austrália por sua vez amarga o segundo vice consecutivo no novo formato da Davis, já que no ano passado foi superada pelo Canadá também por 2 a 0. Segundo país com maior número de títulos na competição, com 28, não vence a Davis desde 2003.

Arnaldi decisivo

A vitória de Arnaldi acabou sendo essencial para o time italiano, especialmente ao salvar oito break-points ao longo do terceiro set, mostrando cabeça fria. Conseguiu então para finalizar a vitória em cima de um adversário tenso.

“Venci um dos jogos mais importantes da minha vida”, declarou ainda em quadra Arnaldi, que dedicou a vitória à namorada de seu pai, falecida recentemente.

Sinner então voltou a jogar muito solto, mexendo-se muito bem na linha de base e disparando golpes pesados diante do adversário. De Minaur perdeu o saque logo no terceiro game e isso ampliou a confiança do italiano, que viveu seu único momento de maior pressão quando precisou salvar um break-point no oitavo game. Daí em diante, foi absoluto em quadra, com 35 winners frente a 19 e 11 erros diante de 17.

5 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Fabio Diniz
Fabio Diniz
3 meses atrás

A evolução do Sinner em 2023 foi absurda. Fechando o ano com moral. Tomara que continue amadurecendo ano que vem. Se seguir nessa toada, pode perfeitamente pensar em Slam – o esporte agradece!

SANDRO
SANDRO
3 meses atrás

A VERDADEIRA FINAL antecipada da DAVIS foi ITÁLIA X SÉRVIA, principalmente SINNER X DJOKOVIC, a grande rivalidade do momento !!! A AUSTRÁLIA com esse “ridículo” do “DE MENOR” sequer deveria estar na final!!! Onde já se viu o n. 1 da AUSTRÁLIA, o DE MENOR,tomar um 6×0 acachapante e humilhante numa FINAL DE DAVIS??? Eu tinha certeza que o vencedor de SÉRVIA X ITÁLIA seria o CAMPEÃO da DAVIS facinho facinho! O lado da chave em que estavam SÉRVIA e ITÁLIA estava muito mais forte que o lado da AUSTRÁLIA. Esse final de temporada do SINNER é histórico: ganhar 3 vezes de Djokovic no mesmo mês, 2 em simples e 1 em duplas, não é pra qualquer um !!!

David
David
3 meses atrás

Parabéns Sinner El Pecador levou a Itália ao título e fez muita diferença principalmente contra Djokovic. Sinner será muito em breve número 1 mundial.

SANDRO
SANDRO
3 meses atrás

Agora DJOKOVIC vai se concentrar na preparação para a UNITED CUP, a COPADO MUNDO DO TÊNIS masculino e feminino, que começa em DEZEMBRO e vale 500 pontos no ranking.

Osvaldo
Osvaldo
3 meses atrás

e ainda por cima destroçando o negacionista na semifinal… grande título!

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE