PLACAR

Sinner: “Bom impulso de confiança para o US Open”

Foto: Peter Power/NBO

Toronto (Canadá) – Depois de bater na trave duas vezes em Masters 1000, no último domingo o italiano Jannik Sinner enfim conseguiu comemorar seu primeiro título deste nível e o maior da carreira até então, superando na final o australiano Alex de Minaur em sets diretos para levantar a taça em Toronto.

“Como eu disse antes da partida, as finais são um pouco diferentes. Hoje eu estava melhor do que nas duas finais anteriores, muito focado no meu jogo. O primeiro set foi muito importante. No segundo set, eu estava batendo um pouco mais livre”, analisou Sinner, que triunfou com parciais de 6/4 e 6/1.

O italiano destacou o trabalho duro e a importância do apoio daqueles que o cercam. “Com certeza é incrível, um grande resultado que posso compartilhar não só com toda a minha equipe e o trabalho duro que fizemos, mas também com todas as pessoas que estão perto de mim”, observou o tenista de 21 anos.

“É um bom impulso de confiança, especialmente indo para o US Open. Vai ser difícil em Cincy porque não há muito tempo para ajustar. Espero poder começar na quarta-feira, tentando treinar um pouco antes para estar pronto para a estreia. E depois me preparar da melhor forma possível o US Open”, acrescentou.

Sobre a partida, ele destacou a dificuldade que foi lidar com o vento em quadra. “Estava ventando um pouco, então tivemos que nos ajustar. Senti que estava devolvendo muito bem, mudando muito bem o jogo, principalmente quando jogava contra o vento”, comentou Sinner.

Apesar da derrota, De Minaur foi enaltecido pelo campeão. “Ele é muito rápido, então às vezes você tem que ir para o mesmo canto novamente. Apenas tentei encontrar o equilíbrio certo em quanto tenho que forçar”, destacou o italiano, que celebrou sua maior conquista.

“É o sonho de todo tenista vencer um desses torneios. Comecei a acreditar um pouco mais desde o ano passado, porque senti que tinha nível para ir um pouco mais longe. Acho que mostrei isso, especialmente este ano, fazendo algumas semifinais e finais em momentos importantes”, finalizou.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE