PLACAR

Rune: “Becker me ajudou muito a mudar a dinâmica”

Foto: Corinne Dubreuil/ATP Tour

Paris (França) – Apesar da derrota para o sérvio Novak Djokovic nas quartas de final do Masters 1000 de Paris, onde defendia o título conquistado no ano passado, o dinamarquês Holger Rune saiu do torneio com uma perspectiva positiva, principalmente do trabalho com o alemão Boris Becker, que o ajudou bastante a superar a fase ruim.

“Tive quatro ou cinco meses muito difíceis e nunca é fácil quando as coisas estão assim. Ele me ajudou muito a mudar a dinâmica. Comecei do quase nada e fiquei cada vez mais forte. Depois de derrotas nas primeiras rodadas, voltei a jogar perto do meu melhor tênis e consegui competir com Novak”, observou o dinamarquês após a partida.

“Foi um grande impulso para a confiança, porque se tivéssemos disputado essa partida há três meses, provavelmente teria perdido em sets consecutivos. Isso mostra o quão bom eu voltei, mas acho que ainda posso melhorar”, comentou Rune, que iniciou período de experiência co Becker na semana passada na Basileia

A contribuição de Becker para o duelo da última sexta-feira foi ainda mais valiosa, já que ele também foi o mentor de Djokovic. “Com Boris, obviamente conversamos sobre o plano de jogo um pouco antes da partida. E ele me deu sua opinião sobre Novak, já que obviamente o conhece muito bem”, observou o atual número 7 do mundo.

“Não consegui vencê-lo, então nosso trabalho não foi bom o suficiente, por assim dizer. Mas não podíamos esperar que Novak jogasse da mesma forma da última vez. Ele mudou pequenas coisas e por isso é um grande campeão. Estive perto e foi uma grande batalha”, avaliou Rune, que chegou a perder cinco partidas seguidas no segundo semestre.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE