PLACAR

PTPA de Djokovic crê em solução para questão das bolas

Foto: Alex Coppel/Tennis Australia

Londres (Inglaterra) – Questão muito discutida na última temporada, com diversos jogadores reclamando das constantes trocas de bola de um torneio para o outro, a polêmica das bolas diferentes pode estar com os dias contados no circuito. Diretor executivo da PTPA (Professional Tennis Players Association), Ahmad Nassar disse em entrevista exclusiva ao Express Sport que as bolas poderão em breve ser padronizadas nas três superfícies.

Durante o Masters 1000 de Paris do ano passado, o sérvio Novak Djokovic revelou que conversou com Andrea Gaudenzi, o presidente da ATP, e com Massimo Calvelli, CEO do circuito, após saber que as diferentes bolas de tênis utilizadas no circuito estavam causando lesões. O 24 vezes campeão de Grand Slam disse que os dois se mostraram abertos a sugestões numa busca por melhores condições.

Nassar destacou os riscos de lesões como a principal preocupação dos jogadores que sentem que não se pensa muito na escolha da bola. “Você vai de um torneio em quadra dura para outro e depois a mais um e tem três bolas diferentes. Algumas são pesadas, outras são leves, e isso danifica o ombro, danifica os cotovelos”, falou o dirigente, que mostrou otimismo nas negociações e acredita que já neste ano alguma atitude poderá ser tomada.

A solução encontrada pela PTPA é criar especificações para as bolas, permitindo assim que os torneios mantenham vendendo acordos de patrocínio para diferentes empresas. “Fizemos algumas pesquisas e descobrimos que uma alta porcentagem de todas as bolas de tênis do mundo são feitas em instalações semelhantes e então, bem no final desse processo, eles colocam um logotipo nelas”, disse Nassar.

“Isso significa que você ainda pode vender seu patrocínio, mas podemos pelo menos ter as mesmas especificações em uma superfície de jogo? E acho que teremos isso, se não no próximo ano, mas em breve”, acrescentou o dirigente da PTPA.

2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Leonardo
Leonardo
1 mês atrás

É uma solução simples e elegante essa de unificar as espedificações, e seria muito facil de implementar, porque os fabricantes não precisam fazer isso em todas as bolas, somente na de alta gama que é a que vai para os torneios. Eu joguei tenis de mesa em competição por muitos anos, e é assim, existe a bola de 1, 2 e 3 estrelas. A de 3 estrelas é a usada nos torneios e não importa qual a marca, são iguais, exato o mesmo peso, dimensão, equilirio e balanço. Já nas de 1 estrela se pode notar maiores diferenças entre as marcas

Alexandre Monteiro
Alexandre Monteiro
1 mês atrás

Finalmente uma mente não gananciosa infiltrando-se na bolha da burguesia…

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE