PLACAR

Paolini e Trevisan levam a Itália para mais uma final

Martina Trevisan (Foto: Fran Santiago/Getty Images for ITF)

Sevilha (Espanha) – Quatro vezes campeã da Billie Jean King Cup, a Itália vai disputar mais uma final e busca a primeira conquista desde 2013. Na primeira semifinal deste sábado, Martina Trevisan e Jasmine Paolini venceram suas partidas, garantiram o triunfo contra a Eslovênia sem depender das duplas e classificaram a equipe para mais uma decisão.

Trevisan abriu o confronto enfrentando a eslovena Kaja Juvan, que acabou superada em sets diretos, com o placar final de 7/6 (8-6) e 6/3, anotado depois de 2h20 de duelo. O segundo jogo do dia foi mais curto, durou 2h01, mas teve três sets, terminando com a vitória de Paolini sobre Tamara Zidansek, com parciais de 6/2, 4/6 e 6/3.

As italianas não precisaram da dupla de Trevisan com Elisabetta Cocciaretto, que enfrentariam Juvan e Zidansek caso necessário. A dupla foi cancelada e na sequência entram em quadra canadenses e tchecas na segunda semifinal, que definirá quem pegará a Itália na final de sábado.

O duelo entre italianas e eslovenas começou bastante equilibrado, com o primeiro set entre Trevisan e Juvan indo para o tiebreaks, depois de uma quebra para cada lado. Juvan chegou a abrir 3-0 no desempate, teve um set-point em 6-5, mas perdeu dos saques seguidos e quem teve set-point então foi Trevisan, que não desperdiçou a chance.

Na segunda parcial, Juvan abriu 2/1 e saque, mas novamente não sustentou a vantagem e acabou derrotada. Trevisan devolveu a quebra no quarto game e depois anotou mais uma no oitavo, para selar sua vitória no nono, precisando de quatro match-points.

Paolini teve um duelo mais aberto e teve que se recuperar no set final. Depois de vencer o primeiro com duas quebras de diferença e perder o segundo com um break de desvantagem, a italiana saiu atrás na terceira parcial e viu Zidansek abrir 2/0 de cara.

Sem se abalar com o começo ruim na parcial final, Paolini primeiro buscou a igualdade, devolvendo o break no quarto game. Sacando em 3/4, Zidansek chegou a ter game-point em 40-30, mas perdeu os três pontos seguintes e assim o serviço. Paolini precisou apenas confirmar o saque em seguida para selar a vitória e classificar a Itália.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Agassi recorda trajetória de drama e sucesso em Roland Garros

Os melhores lances de Iga Swiatek rumo ao tri no Foro Italico

PUBLICIDADE