PLACAR

Ostapenko vence em três sets, Kenin é eliminada

Foto: Internazionali BNL d'Italia

Roma (Itália) – Duas campeãs de Grand Slam disputaram jogos longos neste domingo de pelo WTA 1000 de Roma e tiveram rumos opostos nas quadras de saibro na capital italiana. A letã Jelena Ostapenko conseguiu avançar às oitavas de final, enquanto a norte-americana Sofia Kenin foi eliminada na terceira rodada do torneio.

Número 10 do mundo, Osapenko precisou de 2h33 para vencer a espanhola Sara Sorribes, 47ª colocada, por 6/4, 5/7 e 6/1. Reconhecida por ser uma jogadora de estilo agressivo e de muita potência nos golpes, a letã fez 73 winners na partida.

Foi a primeira vez que Ostapenko superou Sorribes em três jogos. A vitória poderia ter sido confirmada de forma mais tranquila, já que ela chegou a liderar o segundo set por 3/0 e ainda ficou a um game de fechar o jogo, quando vencia por 5/4. Ainda assim, a letã conseguiu retomou retomar o domínio da partida no último set, com três novas quebras.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Campeã de Roland Garros em 2017, Ostapenko conseguiu no ano passado sua melhor campanha no saibro de Roma ao chegar à semifinal e defende 390 pontos. Por isso, a letã de 26 anos precisa alcançar pelo menos as quartas para ter chance de se manter entre as dez primeiras do ranking.

Algoz de Kenin, a eslovaca Rebecca Sramkova chegará ao top 100

A adversária de Ostapenko nas oitavas de final será a eslovaca Rebecca Sramkova, que veio do quali e eliminou a norte-americana Sofia Kenin por 6/4, 4/6 e 6/4. Aos 27 anos, Sramkova é a atual 120ª do ranking e entrará no top 100 pela primeira vez na carreira. Ela venceu nas primeiras rodadas da chave a convidada local Giorgia Pedone e a britânica Katie Boulter, cabeça 28 do torneio.

A chegada considerada tardia para Sramkova entre as 100 melhores do mundo, o que ela considera “um sonho realizado”, tem muito a ver com histórico de lesões e também com um problema genético. Ela nasceu com pouca visão no olho esquerdo e começou a jogar tênis para ganhar mais coordenação nos movimentos entre as mãos e os olhos. Já ao longo da carreira, teve lesões nas costas, no ombro, abdôme e fratrura por estresse na perna.

Por sua vez, Kenin não aproveitou o embalo da vitória sobre a top 10 Ons Jabeur na última sexta-feira, além de ter passado pela italiana Lucia Bronzetti na estreia. Campeã do Australian Open e vice de Roland Garros em 2020, a ex-número 4 do mundo está com 25 anos e ocupa atualmente o 58º lugar do ranking.

3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Flávio
Flávio
17 dias atrás

A Ostapenko é mais uma jogadora ao lado da Ribakina que assusta a IGA, pois ostapenko x polonesa maltratam demais a bolinha porque é só pancadaria, mas a OStapenko costuma assustar mais a polonesa. kkkkkk

DENNIS SILVA
DENNIS SILVA
17 dias atrás
Responder para  Flávio

Sem o mesmo bla blá blá

Osvaldo
Osvaldo
17 dias atrás

isso aí, Ostapenko ! parabéns pelo lindo trabalho que vc desempenha no combate à gordofobia !

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Agassi recorda trajetória de drama e sucesso em Roland Garros

Os melhores lances de Iga Swiatek rumo ao tri no Foro Italico

PUBLICIDADE