PLACAR

Oncins explica escolha de Heide: “Foi uma opção tática”

Foto: Andre Gemmer/Greenfilmes

Helsingborg (Suécia) – Está definida a ordem dos jogos entre o Brasil e a Suécia pelo qualificatório da Copa Davis. O sorteio colocou Thiago Monteiro, número 119 do ranking ATP, abrindo o confronto contra Karl Friberg (364º). Na sequência, Gustavo Heide (241º) enfrenta Elias Ymer (160º). As partidas acontecem nesta sexta-feira a partir das 13h (horário de Brasília), com transmissão ao vivo pelo canal DSports, do Sky+.

Já no sábado, a partir das 9h (horário de Brasília), as duplas abrem a programação com Rafael Matos (57 no ranking de duplas da ATP) e Felipe Meligeni enfrentando Filip Bergevi (143º em duplas) e Andre Göransson (67º nas duplas). A seguir, Monteiro encara Ymer. Caso haja empate entre as equipes, será disputada mais uma partida de simples entre Heide e Friberg.

O capitão Jaime Oncins comentou o sorteio: “É muito importante para o time ter um jogador mais experiente iniciando o confronto, apesar de ser a segunda vez que o Thiago começa, geralmente ele sempre faz o segundo jogo. Mas estou muito confiante, todos treinaram muito bem esses dias e estão bem preparados, independente da ordem dos jogos.”

Oncins também falou sobre a escalação de Gustavo Heide como tenista número 2 do Brasil. “Todo mundo está treinando muito essa semana, todos com chances de jogar e foi uma opção estratégica colocar o Heide no primeiro dia. O Felipe é uma peça importante com o Rafa, eles formam uma dupla invicta na Davis. Foi uma opção tática da comissão técnica”, disse.

Heide comemorou a escalação e disse estar pronto para o confronto. “Primeiramente estou muito feliz em estar representando o Brasil, jogar pelo seu país é sempre incrível. Sem dúvida, vou dar o meu máximo dentro de quadra, vai ser um jogo muito duro, mas venho treinando muito bem e tem tudo para ser um grande jogo”, afirmou o paulista.

Programação do confronto entre Brasil e Suécia:

Sexta-feira – 13h (horário de Brasília)
Karl Friberg (SUE) vs. Thiago Monteiro (BRA)
Elias Ymer (SUE) vs. Gustavo Heide (BRA)

Sábado – 9h (horário de Brasília)
Filip Bergevi (SUE)/Andre Goransson (SUE) vs. Rafael Matos (BRA)/Felipe Meligeni (BRA)
Elias Ymer (SUE) vs. Thiago Monteiro (BRA)
Karl Friberg (SUE) vs. Gustavo Heide (BRA)

15 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
F.F.
F.F.
4 meses atrás

Que fase do Rodrigues Alves
No fim das contas um confronto entre duas equipes fraquíssimas
Imprevisível

Beto_poa
Beto_poa
4 meses atrás
Responder para  F.F.

exato, muito imprevisível esse confronto.

Marcos Antonio Vargas Pereira
Marcos Antonio Vargas Pereira
4 meses atrás
Responder para  F.F.

Equipes fraquissimas não disputariam acesso a primeira divisão do Tenis Profissional.

Marcos Antonio Vargas Pereira
Marcos Antonio Vargas Pereira
4 meses atrás
Responder para  F.F.

Equipes fraquissimas não disputam acesso a divisão de elite do tenis mundial

Guilherme Corrêa
Guilherme Corrêa
4 meses atrás
Responder para  F.F.

O Wild nao foi chamado?

José Nilton Dalcim
Admin
4 meses atrás
Responder para  Guilherme Corrêa

Foi, mas pediu dispensa alegando problemas físicos.

Ricardo
Ricardo
4 meses atrás

gostei, quero ver como Heide se sai, o Meligeni às vezes ganha jogos difíceis mas “sai do jogo” muito fácil.

Rockton
Rockton
4 meses atrás

Confronto difícil. Ymer deve ganhar seus 2 jogos de simples. A dupla vai ser muito importante.

Fernando S P
Fernando S P
4 meses atrás
Responder para  Rockton

O mais provável é 1×1 no primeiro dia. Tá muito aberto. Pode terminar 3×1 para qualquer lado.

Gilmar de Oliveira
4 meses atrás

Fonseca tem know how de ser campeão mundial da Davis Junior, está jogando superbem, gosta de quadra rápida e deixam ele de fora… para colocar um incerto Heide que é do saibro e não chega aos pés do jogo agressivo e competitivo de Fonseca. Não faz sentido. Se fosse para deixar no banco, então que levassem Pucinelli, sei lá quem, pois a bolsa da CBT é maior do que a premiação que ganhariam em Campinas. No caso de Fonseca, não é pela premiação, mas pelos pontos, pela experiência que deveria ou jogar o challenger ou entrar como raquete 2 do Brasil. Burrada ou politicagem!!

Bukele
Bukele
4 meses atrás
Responder para  Gilmar de Oliveira

Heide é a revelação do momento, Fonseca ainda tem q pegar EXP e físico por uns 3 anos pra tentar chegar no nível de jogar ATP, no momento nem Challenger aguenta direito e não consegue fazer sequência de jogos sem esgotar o físico.

Haroldo Guimarães
Haroldo Guimarães
4 meses atrás

Alguém sabe porque o frustado queridinho da galera, Wild, desistiu? Ficou com medinho???
Melhor o Heide ou talvez até o Fonseca ( falta experiência) do que Wild comraiva quebrando raquete e tendo chilique.
Prevejo um 4×0 ou 3×1 pro Brasil.. pessoal negativista aqui hoje

Bukele
Bukele
4 meses atrás
Responder para  Haroldo Guimarães

Wild é o único tenista bom de verdade da atual geração, único que tem real talento e tem nível pra aguentar ATP, senta e chora. Quem sabe o Fonseca chegue no patamar dele daqui a uns 3 anos ou mais, mas até lá, ele vai ser n.1 do Brasil. Não sei se a dispensa dele foi migué ou não, mas eu se estou na posição dele também mandava a Davis pastar, pois é uma competição que hoje é ultrapassada, secundária, dispensável de se jogar. Ainda mais esse ano onde o Wild pode virar top 50 e até top 30 dependendo do que fizer nos torneios.

Adriano
Adriano
4 meses atrás

Achei muito boa a opção pelo Heide !
Esforçado e talentoso, o mais importante é que vem em uma crescente ganhando jogos difíceis e vai dar o sangue em quadra… inclusive deu um belo calor no Tiago no último jogo deles …
Acho importante ter uma dupla forte ! Estou confiante q levamos essa no

Daniel Macedo
Daniel Macedo
4 meses atrás

Monteirāo faz 2 vitórias e encerra o confronto amanhā. 3×1

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Toda a comemoração de Alcaraz na conquista de Roland Garros

Jannik Sinner é o 29º homem a liderar o ranking profissional

PUBLICIDADE