PLACAR

“Musetti ainda é um jogador em construção”, diz técnico

Foto: Chengdu Open

La Spezia (Itália) – Visto como mais uma grande promessa do tênis italiano, Lorenzo Musetti teve um segundo semestre para esquecer em 2023. Depois de conquistar os dois primeiros títulos de ATP na temporada passada e atingir a 15ª colocação no ranking em junho deste ano, o jogador de 21 anos ganhou apenas 12 partidas em 26 disputadas a partir de julho, caindo em estreias nos últimos quatro torneios.

Diante dessa oscilação, o próprio técnico de Musetti, o também italiano Simone Tartarini, pregou cautela quanto às expectativas em cima do jovem e afirmou que ele ainda é um tenista em fase de desenvolvimento. “Hoje ele ainda é um jogador em construção, diferentemente do Jannik, do Holger ou do Carlos. Eles têm uma mentalidade diferente. Gosto quando ele consegue jogar tênis de forma ‘diferente’, mas nem sempre é fácil. Acredito que dentro de dois ou três anos ele possa se tornar um jogador entre os 10 melhores porque tem potencial para isso”, afirmou em entrevista ao ATP Tennis Radio Podcast.

O treinador também fez uma avaliação da temporada e admitiu as dificuldades enfrentadas pelo pupilo dentro e fora das quadras. “Este ano não foi fácil para Lorenzo. No ano passado ele fechou muito bem jogando nas quartas de final de Paris contra o Novak, enquanto este ano começamos mal na Austrália perdendo para o Harris. Na gira sul-americana não jogou bem devido às diferentes condições que encontrou entre Buenos Aires, Rio e Santiago.”

“No meio da temporada, no saibro, tivemos bons resultados em Monte Carlo, Roma e Paris, chegando sempre à terceira fase em seis ou oito torneios. Também na grama teve bom desempenho nas quartas de final em Stuttgart e Queen’s, e na terceira rodada em Wimbledon. Depois, muitas coisas mudaram, da vida privada para outros aspectos. No próximo ano ele será pai e não é fácil para ele, é muito jovem”, explicou.

Sobre a futura paternidade de Musetti, o treinador afirmou que a notícia mudou tudo na vida do jogador e talvez tenha lhe tirado o foco na carreira. “Lorenzo está feliz e eu também, mas não é fácil controlar tudo, nem para mim, nem para ele, nem para seus pais. Tinha muita coisa para planejar: a casa, a vida, e talvez ele não estivesse focado no tênis. Cada pessoa é diferente. Para mim, Lorenzo é muito inteligente e a sua futura paternidade é uma boa notícia, mas neste momento não está sendo fácil. No ano que vem, porém, não haverá problemas e ele se concentrará apenas no tênis. Ser pai traz novas responsabilidades e acho que também pode ajudá-lo na quadra”, destacou.

Além de Simone Tartarini, Lorenzo Musetti terá um novo integrante em sua equipe para a próxima temporada, o treinador italiano Corrado Barazzutti, que já trabalhou com os compatriotas Fabio Fognini e Francesca Schiavone. “Ele também foi capitão da Davis por 20 anos e acho que pode ser um bom professor para Lorenzo por 12 semanas. Não sei como ele vai se sair, mas o Corrado tem muita experiência. Para mim é muito importante porque agora o Lorenzo precisa desta experiência. Ele sempre esteve comigo todas as semanas, então será bom para nós dois.”

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE