PLACAR

Monteiro: ‘Minha maior vitória, acreditei até o fim’

Foto: Divulgação/CBT

Hillerod (Dinamarca) – A vitória desta sexta-feira pela Copa Davis foi bastante comemorada por Thiago Monteiro. Ao superar o número 4 do mundo Holger Rune de virada, Monteiro conseguiu vencer um top 5 pela primeira vez na carreira. Além disso, ajudou o Brasil a abrir 2 a 0 de vantagem no confronto contra a Dinamarca pelo Grupo Mundial I da competição, que é disputado em quadra dura e coberta na cidade de Hillerod.

“É uma vitória muito especial para mim e para o time. Em questão de ranking, é a melhor vitória da minha carreira. Ainda mais pelas condições, quadra dura e indoor, vindo do saibro na semana passada, e num ano não tão positivo. Vai dar uma confiança para a reta final do ano”, disse Monteiro, após a vitória por 6/7 (4-7), 7/6 (7-5) e 6/2.

“Feliz pela virada e pela competitividade. Deixei tudo em quadra e joguei num excelente nível o tempo todo”, acrescentou o cearense de 29 anos e 116º do ranking. “Holger é um jogador incrível. Mas por mais que ele seja um cara melhor ranqueado e mais consistente nesse nível, eu sentia que estava muito bem na partida e que eu poderia ter alguamas chances. E foi o que aconteceu no final.

“Eu estava com quebra atrás no segundo set, mas ainda continuei lutando e acreditando. Acho que no terceiro set eu estava melhor fisicamente e pude administrar a vantagem que eu criei para fechar o jogo de maneira bem contundente”, complementou o atual número 2 do Brasil, que tem agora 10 vitórias e 11 derrotas pela Copa Davis.

“É muito especial jogar Davis, estamos sendo muito bem recebidos aqui na Dinamarca. A atmosfera estava incrível na quadra e tentei também pegar um pouco de energia do nosso banco. Também temos alguns brasileiros aqui, então ainda nos sentimos um pouco em casa”.

Monteiro também falou sobre as mensagens de apoio e ataques nas redes
Por meio das redes sociais, Monteiro agradeceu pelo apoio e também se pronunciou sobre as mensagens agressivas que chegaram até ele nas últimas semanas. “Tenho a consciência que o problema não é comigo, mas sim na vida de quem manda os ataques na intenção de diminuir, por se sentir incomodado ou ameaçado por algo não resolvido na vida deles. Não adianta ganhar do número 4 do mundo, na casa dele, com mais de duas mil pessoas na orelha o tempo todo, o que importa é encontrar algo pra diminuir quem está ali te representando”.

“Da minha parte, é seguir fazendo o que faço de melhor: Competir, lutar, buscar evoluir e jogar com paixão esse esporte que tanto amo e me apoiar nas pessoas que realmente conhecem minha trajetória e que estão no dia a dia comigo, seja nos momentos bons ou nos momentos não tão satisfatórios. Aqui na Copa Davis, somos um time e esse foi apenas um pequeno passo rumo ao nosso objetivo que é a vitória do confronto”.

Brasil tem 2 a 0 contra os dinamarqueses
O confronto entre Brasil e Dinamarca continua neste sábado às 7h (de Brasília) com a partida de duplas. A princípio, estão escalados Rafael Matos e Felipe Meligeni contra Johannes Ingildsen e Christian Sigsgaard, mas os capitães podem fazer mudanças nas equipes. Se for necessário, o dia terá até mais duas partidas de simples, a começar pelo duelo entre Thiago Wild e Holger Rune. Quem vencer se classifica para o Qualificatório Mundial de 2024, que vale vaga para a fase final da competição.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE