PLACAR

Matos e Melo caem para favoritos na estreia em Eastbourne

Foto: BOSS OPEN

Eastbourne (Inglaterra) – Em seu primeiro desafio após conquistarem o título na grama de Stuttgart, a parceria nacional de Rafael Matos e Marcelo Melo não passou da estreia no ATP 250 de Eastbourne. Enfrentando o britânico Neal Skupski e o neozelandês Michael Venus, cabeças de chave número 4, os brasileiros acabaram superados pelo placar de 7/6 (7-3) e 6/4, após 1h28 de partida.

Este foi o quinto torneio que o canhoto gaúcho e o experiente duplista mineiro disputaram juntos, o quarto na atual temporada. Além da conquista na Alemanha há nove dias, eles também caíram na primeira rodada em Genebra e pararam na segunda fase em Roland Garros. Os dois seguem agora para Londres, onde jogarão o torneio de Wimbledon.

Já Skupski e Venus terão pela frente um dueto 100% argentino, formado por Sebastian Baez e Mariano Navone, que estrearam com vitória na última segunda-feira contra o romeno Victor Cornea e o cazaque Aleksandr Nedovyesov por 6/3 e 7/6 (7-2).

Brasileiros não ameaçaram os rivais

Em um jogo bastante equilibrado, se deu bem quem teve o melhor desempenho nos games de saque. Ao longo de toda a partida, houve apenas três break-points, todos a favor de Skupski e Venus, que aproveitaram um deles, já no segundo set, para assegurarem a vitória. Mais do que isso, Matos e Melo jamais incomodaram o saque dos adversários, ganhando apenas quatro pontos devolvendo no primeiro set.

Depois de salvarem duas chances de quebra, no segundo e quarto games, o gaúcho e o mineiro se mantiveram firmes com o serviço a partir daí e levaram a decisão da primeira parcial para o tiebreak. No desempate, mais uma vez o saque fez a diferença para os rivais, que cederam apenas um ponto em seus serviços e conquistaram três mini breaks para abrir 1 a 0 no placar.

Se o jogo já estava complicado, ficou ainda pior depois que o britânico e o neozelandês conseguiram superar o saque brasileiro no quinto game do segundo set. Sem darem chances para Matos e Melo, eles apenas administraram a vantagem até o fim e sacramentaram a classificação.

Os números finais mostram que a diferença esteve no aproveitamento de pontos convertidos com o segundo serviço, com os vencedores alcançando 77% de aproveitamento diante de apenas 44% do gaúcho e do mineiro. Já com o primeiro saque, a média ficou um pouco mais próxima (84% a 74%). Por sua vez, os brasileiros encaixaram mais o primeiro serviço em quadra (76% a 63%) e fizeram mais aces (5 a 4), mas cometeram mais duplas faltas (5 a 3).

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Guilherme Alcantara
Guilherme Alcantara
27 dias atrás

Que época difícil pra torcer pra brasileiros kkkk
Ainda bem que dura pouco.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Fils vence a grande batalha de Hamburgo em cima de Zverev

Veja como Zheng chegou ao bicampeonato em Palermo

PUBLICIDADE